Abril de Sim Abril de Não


Foto de João Carlos Espinho



Eu vi Abril por fora e Abril por dentro

vi o Abril que foi e Abril de agora

eu vi Abril em festa e Abril lamento

Abril como quem ri como quem chora.



Eu vi chorar Abril e Abril partir

vi o Abril de sim e Abril de não

Abril que já não é Abril por vir

e como tudo o mais contradição.



Vi o Abril que ganha e Abril que perde

Abril que foi Abril e o que não foi

eu vi Abril de ser e de não ser.



Abril de Abril vestido (Abril tão verde)

Abril de Abril despido (Abril que dói)

Abril já feito. E ainda por fazer.




(Manuel Alegre


30 Anos de Poesia


Publicações Dom Quixote)

Comentários

adesenhar disse…
:)
tal como Lennon
o outro poeta (Zeca)também sonhou com um Abril diferente :)

vamos nós sonhando também :)
wind disse…
Bonito poema:) beijos
Ludinais disse…
Poema e foto unidos pela força da verdade e da beleza.
batista filho disse…
Aqui, nessa terra brasilis, também tivemos o nosso Abril, que não foi necessáriamente em Abril...
Me encantei com tal poema.

Mensagens populares deste blogue

ACORDANDO

ALDA GUERREIRO

ANRIQUE PAÇO D'ARCOS - UM POETA PORTUGUÊS...