Avançar para o conteúdo principal

De novo com os Amigos(as)




Não pude ir à festa !


Não estive de férias !


Não fugi nem me perdi !


A única razão da minha ausência foi uma insuportável avaria, (no modem ? numa cabine de distribuição ? manutenção na zona ?), por parte da TV Cabo.


Tudo tentei, durante estes dias, para que fosse reposta a normalidade do serviço.


Só hoje (2ª Feira) a TV Cabo enviou uma equipa que finalmente conseguiu estabilizar o sistema.


A falta desta companhia diária, eliminando os contactos com os amigos, cria-nos um estado que atinge a depressão.


Vamos tentar, ràpidamente, colocar a escrita em dia, visitar os amigos, ler os seus "posts" e trocar os nossos comentários.


Para todos que me procuraram no vazio da net, (até de megafone...), o meu beijo de regresso e um abraço amigo.



Comentários

mad disse…
Ainda bem que já estás de volta.
Às vezes a ausência também faz falta. Agora toca a compensar o tempo perdido.
nikonman disse…
Cá ficamos à espera das novidades.
diabo disse…
estava a ver que não aparecias. estamos aqui à tua espera. vem ter connosco. beijos doces
soldeinverno disse…
fico feliz por estares de volta... jinhuz
segurademim disse…
Bom que estejas de volta, pena que a ausência não tenha sido motivada pela festa! Beijo
batista filho disse…
Sê bem-vindo, meu amigo. Pra comemorar o teu regresso um abraço fraterno.
wind disse…
Bem voltado:) beijos
alvitrando disse…
Como compreendo a situação!... Mas o que importa é que está ultrapassada e já o podemos voltar a visitar, sempre com interesse.
Lumife disse…
Mad:

Tenho levado o dia a acertar "contas" com os amigos...
Gosto mais de estar presente que ausente.


Nikonman:

Sempre que possível cá estarei com notícias que interessem.
Lumife disse…
Diabo:

Já lá fui e não é que é mesmo o diabo ?...
Lumife disse…
Sol de Inverno :

Também fico feliz com as tuas visitas.
Bjs.
Lumife disse…
Segura de Mim :

Pois foi pena mas não consegui conciliar compromissos.
Bjs
Lumife disse…
Batista Filho :

retribuição desse abraço com muita alegria.
Lumife disse…
Wind :

Ob pela recepção.

Bjs.
Lumife disse…
Alvitrando :

É sempre um prazer vê-lo por aqui.

Um abraço.
Ludinais disse…
Amigo, que bom ter regressado! Que falta já fazia. E logo acompanhado da grande guitarra de Carlos Paredes. Que prazer!
Lumife disse…
Ludinais :

Palavras que agradeço e que calam fundo em meu coração.

Bem hajam.

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij