sexta-feira, agosto 05, 2005

Poema Mestiço



escrevo mediterrâneo

na serena voz do índico

sangro norte

em coração do sul



na praia do oriente

sou areia náufraga

de nenhum mundo



hei-de

começar mais tarde



por ora

sou a pegada

do passo por acontecer




Mia Couto




Não podia deixar de colocar aqui o comentário do Charlie. Agradeço as suas palavras e

insisto para que crie o seu próprio blog.

.

E no passo por acontecer, nesse lapso de tempo

sem medida,

acontece sempre o nada

Coisa que está no inicio de tudo.

Avanças!

Pensas que fazes Historia.

Pé ao fundo esmagando a areia que lhe toma a

forma e que o vento depois cantará no eterno

exercicio da criação desfazendo a eternidade dum

passo criando a tela para os passos seguintes.

Das gentes que hão de vir.

De passos tão eternos quanto o horizonte infinito,

mas que acaba mesmo ali.

Onde os nossos sonhos começam e acabam.

Levados pelos ventos.

.

Charlie

13 comentários:

wind disse...

lol, espero sentada:) bjs

Isabel-F. disse...

Algo que eu adoro.......

imagem....
"fabulástica" = fabulosa+fantástica

Bjs

paper life disse...

Ehehe

E ainda deixaste o deserto cheio de pégadas...

Bjs

Ludinais disse...

Bom descanso, óptimos banhos e um regresso em grande!

nikonman disse...

cá ficamos à espera.

Lumife disse...

wind

Agora sou eu que espero por ti...
Bjs.

isabel filipe:

o seu a seu dono : a fotógrafa é
Sofia Silva.
Bjs.

maker:

deixei as marcas da minha corrida a um banho refrescante...
Bjs.

Lumife disse...

nikonman:
Uma praia destas que bom seria aí em Beja...
Um abraço.

wind disse...

Mia Couto é fantástico! beijos e bom fim de semana

Anónimo disse...

E no passo por acontecer, nesse lapso de tempo sem medida,
acontece sempre o nada
Coisa que está no inicio de tudo.
Avanças!
Pensas que fazes Historia.
Pé ao fundo esmagando a areia que lhe toma a forma e que o vento depois cantará no eterno exercicio da criação desfazendo a eternidade dum passo criando a tela para os passos seguintes. Das gentes que hão de vir.
De passos tão eternos quanto o horizonte infinito, mas que acaba mesmo ali.
Onde os nossos sonhos começam e acabam. Levados pelos ventos.

Charlie
xarly2@hotmail.com

Mocho Falante disse...

Mais um que adoro, o Mia Couto e os seus abensonhados conto, já lhe didiquei um belo post....

E como foi estes dias de calor por ai??? imagino nem os chaparros te salvaram

batista filho disse...

Só há pouco (cerca de 1 ano) li o primeiro poema de Mia Couto. Identificação total! Simplesmente adorei. Grato por conhecer um pouco mais desse poeta excepcional.
Um abraço fraterno.

Nina disse...

Mia Couto..adoro...n tivesse eu nascido em Moçambike :)

beijinhooo :)

Cristina disse...

Olá,
Essa foto está linda mesmo, adorei! Adoro a praia, o mar e tudo relacionado, por isso fascino-me quando vejo fotos assim. O poema está lindo também...

Beijinhu para o Alentejo daqui deste lado :-)