Avançar para o conteúdo principal

ELA





À beleza tão pura do semblante,
à luz sublime que há nos olhos dela,
- pergunto-me a mim mesmo a todo instante,
como tão simples pode ser tão bela...

Diferente das outras, diferente
dos moldes tão comuns de uma mulher,
- ela me faz pensar num mundo ausente
deste que a gente sem querer já quer...

Bem que a quis esquecer - e noutro amor
procurei me enganar, acreditando
ser do meu pobre coração, senhor...

Em vão tentei... Em vão... Vendo-a naquela
doce e pura expressão - fico pensando
que é impossível não pensar mais nela!...




(JG de Araújo Jorge)


(Foto de Katia Franke)

Comentários

batista filho disse…
JG foi outro que declamei quando menino. Gostei de vê-lo por cá. Um abraço, Lumife.
Mily disse…
Araújo Jorge povoou com seus belos poemas a adolescência de muitos apaixonados. Seus poemas tocam diretamente a alma daqueles que estão descobrindo o amor, bem como o coração dos que já estão mergulhados em vivências amorosas, em saudades, despedidas, encontros e desencontros. Ele é, por excelência, o poeta que marcou uma geração. Com o beijo e o afago, votos de um domingo de alegrias.
TMara disse…
será da beleza ou do olhar apaixonado este incendiado poema k o poeta nos ofertou? Dilema velho.....Bom domingo. Bjs e:)
Guardiã disse…
Lindíssimo poema, escolhido com a alma e com o coração.
Beijinho
wind disse…
Belo poema de amor:) beijos
Lisa disse…
Oiiii ...
Que poema linda...
Deixo a minha ternura pra ti...
Um lindo domingo com amor...
Beijosss...
paper life disse…
Tal como o batista também o conhecia. Foi bom reencontrá-lo. :)

Bjs
Menina_marota disse…
Belo poema e imagem a condizer

;)
Doce lembrança disse…
Se eu pudesse...

... me transformaria numa suave brisa matinal,
para acariciar delicadamente teu rosto.
Quem sabe...
Num forte vento, para brincar com teus lindos cabelos.
Ou talvez...
Numa chuva fina, para furtivamente percorrer todo teu ser.
Ah! Se eu pudesse...
Se eu pudesse... me transformaria num belo sol,
para acalentar e iluminar teus dias.
Quem sabe...
No ar que te rodeia, para inalar teu cheiro e teu perfume.
Ou talvez...
Numa bruma vespertina, para suavemente te abraçar.
Ah! Se eu pudesse...
Se eu pudesse... me transformaria numa linda lua cheia,
para velar e proteger teu sono.
Quem sabe...
Num sonho lindo, para inundar de felicidade teu coração.
Ou talvez...
No teu próprio coração, para ficar eternamente juntinho de você.
Ah! Se eu pudesse...
Mónica disse…
Finalmente consegui comentar! Ufa!
Fico admirada e positivamente agradada por ver estes belos poemas no teu blog. Como sabes adoro poesia. Este teu novo espaço está delicioso, a musica , os temas , tudo que o envolve. Adorei.
Um abraço amigo.
Dizzie disse…
Los ojos...la mirada, el espello dela alma...lo que hace q uno sea diferente de todos....sea unico

Uno se queda asi, cuando el corazon es que manda :)

besitos...:)

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij