terça-feira, outubro 25, 2005




NOTA DO "BEJA":
Se está interessado em saber
mais notícias sobre a Candidatura de
Manuel Alegre à Presidência da República
CLIQUE AQUI
.
Terá oportunidade de conhecer a biografia
e a bibliografia de Manuel Alegre.
Poderá também expressar o seu ponto de vista
e saber como pode apoiar a Candidatura.




AS MÃOS

Com mãos se faz a paz se faz a guerra

Com mãos tudo se faz e se desfaz

Com mãos se faz o poema - e são de terra.

Com mãos se faz a guerra - e são a paz.



Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.

Não são de pedra estas casas mas

de mãos. E estão no fruto e na palavra

as mãos que são o canto e são as armas.



E cravam-se no Tempo como farpas

as mãos que vês nas coisas transformadas.

Folhas que vão no vento: verdes harpas.



De mãos é cada flor cada cidade.

Ninguém pode vencer estas espadas:

nas tuas mãos começa a liberdade.







BICICLETA DE RECADOS



Na minha bicicleta de recados

eu vou pelos caminhos.

Pedalo nas palavras atravesso as cidades

bato às portas das casas e vêm homens espantados

ouvir o meu recado ouvir minha canção.



Na minha bicicleta de recados

eu vou pelos caminhos.

Vem gente para a rua a ver a novidade

como se fosse a chegada

do João que foi à Índia

e era o moço mais galante

que havia nas redondezas.

Eu não sou o João que foi à Índia

mas trago todos os soldados que partiram

e as cartas que não escreveram

e as saudades que tiveram

na minha bicicleta de recados

atravessando a madrugada dos poemas.



Desde o Minho ao Algarve

eu vou pelos caminhos.

E vêm homens perguntar se houve milagre

perguntam pela chuva que já tarda

perguntam pelos filhos que foram à guerra

perguntam pelo sol perguntam pela vida

e vêm homens espantados às janelas

ouvir o meu recado ouvir minha canção.



Porque eu trago notícias de todos os filhos

eu trago a chuva e o sol e a promessa dos trigos

e um cesto carregado de vindima

eu trago a vida

na minha bicicleta de recados

atravessando a madrugada dos poemas.


Manuel Alegre

22 comentários:

Maria do Céu Costa disse...

Ainda há dias li este poema "Mãos" deste grande Poeta Manuel Alegre. Foi bem relê-lo aqui. Cumprimentos.

wind disse...

Um Manuel Alegre de intervenção, sempre com muita força e ao mesmo tempo beleza. Beijos

lazuli disse...

Começar o dia com esta leitura..é do melhor que há, para dar força e alegria para continuar..

O Micróbio disse...

Sem dúvida, Alegre é e continuará a ser um grande "poeta"... :-)

Isabel-F. disse...

Bonitos poemas...


Bjs

Mocho Falante disse...

Andamos numa de apoiar o amigo Alegre...muito bem!!!!!

meialua disse...

Olá
vim só deixar-te um beijinho*

Mónica disse...

Simplesmente belo.
A poesia não se escreve, vive-se, por isso é tão agradável senti-la ao absorvermos cada palavra que está escrita...

:)

TMara disse...

deculpa o silêncio mas tenho estado com excesso de afazeres. Vim eli a acarta, divulguei-a por email. Força. Bj e;)

Mily disse...

Por motivos pessoais estive ausente dos blogs, amigo, e estou retornando agora a esse convívio tão agradável. Um belo trabalho esse que tu fazes na divulgação das coisas de tua terra. Li a biografia de Manuel Alegre, que me causou admiração, e também o depoimento de Antonio Mesquita Brehm, que mostra de forma inequívoca sua personalidade forte, o cidadão preocupado com o bem estar comum, o soldado, o batalhador em prol das causas sociais, enfim, um homem digno e de admiráveis valores morais. O episódio na prisão nos mostra bem a altivez com que ele enfrentava os inimigos. Belos e profundos esses dois poemas, onde destaco os versos... nas tuas mãos começa a liberdade... (As Mãos) e
"eu trago a vida/na minha bicicleta de recados/atravessando a madrugada dos poemas" em (Bicicleta de Recados). Vou ficar aqui de longe, com a emoção a atravessar um oceano inteiro, vou ficar torcendo para que essa nação/irmã possa receber como presidente um homem de tão extrema sensibilidade, demonstrada não só na alma poética, como também nos atos de bravura. Receba meu afetuoso abraço e a admiração por seu belo trabalho de divulgação.

paper life disse...

Lumife, depois de um dia de trabalho louco onde recebi, se calhar pela última vez, o Presidente "cessante", n consegui ter atenção para ler tudo. faço-o amanhã.
Quanto à tua proposta ;) não me tentes! ele romãs amendoas azeitonas figos e até poejos e hortelã bem cheirozinha não recusaria nunca. :D

Infelizmente para mim não posso ir. Quem sabe noutra altura...

Bom trabalho.

Bjs.

António disse...

Grande poeta, o Alegre!

Obrigado pela visita e comentários.

Abraço

paper life disse...

SE eu reduzir as exigências aos poejos para a sopinha, arranjas?

;) Bj

Anónimo disse...

Com as mãos também se faz a cruz no quadrado do boletim de voto para eleger o Manuel Alegre! Vão por mim DoceRebelde.....e não se arrependerão! Beijão

wind disse...

Dei uma vista de olhos. bjs

Thiago Forrest Gump disse...

Poema com requinte.

Interessante.

gato_escaldado disse...

grato pela visita. gostamos de ver-te na "paisagem". apreciamos o poeta. e apoiamos o candidato.

batista filho disse...

Nos versos de Manuel Alegre passeiam todos os sentimentos que se acham represados nos corações. Me encantei.
Um abraço, amigo.

Cravadinho disse...

Já vi que continuas firme na defesa por Manuel Alegre. Fico satisfeito.
Irei à feira, como é hábito.
Um abraço

TMara disse...

ai Alvito, Alvito, tão longe estás...bjocas viajando nas gotas de chuva

mariavaladas disse...

Obrigada pelas tuas palavras no meu cantinho....
Penso que foi aqui que deixei uma mensagem a confirmar que não ía ao
Alentejo por motivos de saúde...
mas para mim...A Alentejo não consiste só na presença...mas sim no coração....esteja onde eu estiver!!
Beijos Lamife.........da
Maria

lena disse...

Este é dos poemas que mais gosto de Manuel Alegre, era menininha quando o conheci e tenho acompanho de muito perto tudo quanto escreve

lindo partilhares aqui o Poeta, é assim que o vejo, mais do que como político

beijinhos meus

lena