Avançar para o conteúdo principal

"Ainda Refulge ..."





Ainda refulge a chama

que perturbou um dia meus sentidos?



Não se apaga jamais

a luz de certo olhar que em segredo amei?



Chora, em meu coração,

a nostalgia do bem com que sonhei?



Da noite, abismo imenso,

oiço indistinta voz chamar por mim?



O que me falta e inquieta

serás tu, de quem não sei o nome?



Ou todo o sonho erguido é cinza ao vento,

estrela fria, cada vez mais longe

do puro silêncio em que se esvai a vida?



(Luís Amaro)

Comentários

TMara disse…
lê-se e fica-se...fica em nós. Bom feriado. bjs e ;)
Lagoa_Azul disse…
E o que é a vida senão interrogaçoes...
Umas vezes com resposta, outras sem tempo ou vontade de responder..
Bom feriado.
AS disse…
Belo post!!!
Retrubuo o abraço caro Lumife
romero disse…
Cuantas questiones apasionadas ;)

Muy bueno !

un abrazo para ti, Lumife
singularidade disse…
Gostei muito! Bom feriado:)))

Beijo grande
Joaquim Filipe Mósca disse…
Grato pelas suas visitas. Também a mim o tempo me é escasso para ser, como gostaria, visita mais assídua.
Eu particularmente acho que as flores não combinaram na imagem. :D
batista filho disse…
Amei esse poema.
Um abraço, amigo.
Sulista disse…
Ora Viva!

isto por aqui hoje está muito sensual :-)

Venho retribuir o abraço e tb me desculpar pela ausência momentânea.

Até breve ;-)
Beijinho e bom feriado!
Nilson Barcelli disse…
Quem é o Luís Amaro?
És tu?
Em qualquer dos casos o poema é muito bom. Gostei de o ler.
Abraço.
Isabel-F. disse…
Não conhecia este poema. Gostei muito.
A imagem que escolheste é lindissima.

Bom feriado e bjs
eduardosantos disse…
Caro amigo. Cordeais saudações. Entrei - por mero acaso - no seu blog e sinceramente, gostei. Parabéns pelo seu trabalho. Voltarei, se Deus quiser. Até breve.
meialua disse…
Adorei a imagem e o poema!

Bom feriado e bom fim de semana!

Beijos*
EE, Coimbra disse…
Parabens pelo visual e pelos conteúdos! Magníficas fotografias.
Encalhado neste blogue tive de viajar pelas memórias da minha infancia no Alentejo....
Lumife disse…
Tmara, Lagoa_azul, Frog, Romero, Singularidade, Joaquim Filipe Mósca, Thiago, Batista Filho, Sulista, Nilson, Isabel F., Eduardo Santos, Meia Lua :

A todos já fui nos seus blogs agradecendo a visita.
Um bom fim de semana



ee, Coimbra :

Como não tem onde comentar, enviei um e-mail que veio devolvido.

Agradeço a visita e felicito-o por tão rico curriculum.
Dizzie disse…
"O que me falta e inquieta

serás tu, de quem não sei o nome?"

-Muy bello.......triste, apasionado, un sueño???

Las emociones, nos hacen questionar tantas cosas, no???

Amigo.....perdon, por esta ausencia.
Sabes, as veces vengo acca, y leeo todo q escrives, pero no comento.....pq ni siempre tengo las palavras, q me gustaria de decir.
Pero, te prometo....q ni q sea un "hola, y q estea todo bien mio amigo"....pasare a hacer...

_Me gusta mucho de venir aqui, y leer lo q escrives....tb te extrañava...:$

besitos.....:)***

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij