quinta-feira, dezembro 22, 2005



CAROLINA



Participo a todos os meus amigos e a todas as minhas amigas o nascimento de Carolina, minha primeira neta, no dia 22 de Dezembro pelas 17H14, com 2,740Kgs. É muito linda. Foi a melhor prenda de Natal.

A Carolina envia um beijinho a todos os visitantes do "Beja" e deseja que todos tenham um Feliz Natal e um Bom Ano Novo.

sábado, dezembro 10, 2005




Desejo que neste Natal,
antes de perceber Jesus nas luzes que piscam pela cidade,
O encontre primeiramente em seu coração.
E, à frente de qualquer palavra que expresse seu desejo de um feliz Natal,
O encontre em suas acções.

Que O encontre não só na alegria que sente ao sair das lojas
com presentes para as pessoas que ama, mas também
na feição triste da criança abandonada nas ruas,
na qual muitas vezes esbarra apressadamente.

Que encontre Jesus no momento em que pegar nas mãozinhas
delicadas de seu filho, lembrando-se das mãozinhas pedintes,
quase sempre sujas de calçada, que só sabem o que significa rudeza.

Que O encontre no abraço de um amigo,
lembrando-se dos tantos que só têm a solidão como companheira.

Que O encontre na feição do idoso da sua família,
lembrando-se daqueles que tanto deram de si a alguém,
e hoje são esquecidos até pela sociedade.

Que O encontre na lembrança suave e sempre viva
daquela pessoa querida que já não está mais fisicamente ao seu lado,
lembrando-se daqueles que já nem se recordam mais quem foram,
enfraquecidos pelo vazio de suas vidas.

Que encontre Jesus na bênção de sua mesa farta
e no aconchego de sua família, lembrando-se daqueles
que mal se alimentam do pão e sequer têm um lar.

Que O encontre não apenas no presente que troca,
mas principalmente na vida que Ele lhe deu como presente.

Que se lembre, então, de agradecer por ser uma pessoa privilegiada
em meio a um mundo tão contraditório!

Que também encontre Jesus à meia- noite do dia 31
e sinta o mistério grandioso da vida, que renasce junto com cada ano.

Então festeje...festeje o ano que acabou não apenas como dias que se
passaram, e sim como mais um trecho percorrido na estrada da sua vida!

Festeje a alegria que lhe extasiou e a dor que lhe fez crescer!
Festeje pelo bem que foi capaz de fazer
e pelo mal que foi capaz de superar!

Festeje o prazer de cada conquista
e o aprendizado de cada derrota!
Festeje por estar aqui!
Festeje a esperança no ano que se inicia, no amanhã!
Festeje a vida!

Abra os braços do coração para receber
os sonhos e expectativas do ano novo.

Rodopie...jogue fora o medo, sinta a vida!...

Sonhe, busque, espere... ame e reame!

Deixe sua alma voar alto...pegar boleia com os fogos coloridos.
Mentalize seus desejos mais íntimos e acredite:
eles também chegarão ao céu.
Ir-se-ão misturar às estrelas, irão penetrar no Universo
e voltarão cheios de energia para se tornarem reais.

Basta querer de verdade, ter fé e nunca, NUNCA desistir deles!
E que seu ano seja, então, repleto de bênçãos e realizações.







Vamos fazer uma paragem. Meditar.
Agradeço aos amigos que, generosamente, me têm acompanhado e prometo voltar mais junto ao fim do ano.

Para todos e suas Famílias vão os votos de um Bom Natal e um Ano Novo pleno de prosperidades.

Abraços

sexta-feira, dezembro 09, 2005




Só mais uma vez...


Queria apenas por um momento,
Poder apagar o passado,
Poder estar ao teu lado,
Para dizer que te amo.

Queria apenas por um instante,
Poder tocar a tua face,
Poder ter o teu amor,
Poder sonhar um pouco mais.

Queria apenas por um minuto,
Poder ser um daqueles silêncios,
Que quando menos se espera,
Surpreende de forma irreverente.

Queria apenas por um segundo,
Poder ser parte do teu pensamento,
Poder ser a cada instante,
Uma lembrança constante,
Que não se apaga mais.

Enfim, queria apenas uma chance,
Para ter um momento do teu amor,
Um minuto do teu silêncio, e...
Todos os segundos do teu pensamento!




quarta-feira, dezembro 07, 2005

ALVITO-Concertos de Natal e Ano Novo




Concertos de Natal e Ano Novo em Alvito


Conforme já vem sendo hábito, em Alvito não há quadra natalícia sem música!

Este ano, celebra-se de novo a “época das Boas Festas” através de duas actuações, uma em Alvito e a outra em Vila Nova da Baronia.

No primeiro concerto, que acontecerá no dia 18, Domingo, na Igreja Matriz de Alvito, pelas 17h00, teremos a actuação do Grupo Coral Vocal DaCapo. Fundado em 1982, tem participado em inúmeros concertos no país e no estrangeiro, sob a direcção vocal do maestro Eduardo Paes Mamede. O grupo conta também com um trabalho em CD, editado em Julho de 2002, como forma de comemoração dos seus 20 anos de actividade.

No dia 6 de Janeiro, Sexta-Feira, pelas 21h00, a música acontecerá em Vila Nova da Baronia e terá lugar, igualmente, na Igreja Matriz daquela localidade. Neste concerto de Ano Novo, ouviremos as vozes do Coral Eborae Musica, precisamente em noite de Reis. O maestro Fernando Teixeira, com vasto e brilhante curriculum, irá conduzir o grupo (constituído há já 18 anos) através de um repertório que destacará belas composições apropriadas à quadra.
A actuação do Eborae Musica incidirá, particularmente, sobre temas compostos pelo prestigiado músico Fernando Lopes Graça, uma vez que se comemora em 2006 o centenário do nascimento deste compositor.


Porque em Alvito também se vive com música, eis uma razão acrescida para a sua visita!

SABIA QUE...? publica hoje a carta "CONSTRUIR UM PAÍS" Vale a pena ir até lá. Não perca.

Primeiro Beijo




Estavas ali,
à mercê dos beijos
que íamos partilhar.

Acendíamos nos olhos,
fogueiras de desejo
que disfarçávamos inquietos.


Duas luzes tímidas,
sorvendo ansiosos
as ingenuidades possíveis.


Acontecia numa tarde,
num qualquer Maio cúmplice,
testemunhando sonhos.


Reflectido na planície,
o nosso querer para sempre
que não resultou.


Os pássaros cinzentos,
recusam-se a cantar
como nesse dia.


Vencidos pelo tempo,
vencidos pela distância.
Foi há tanto, tanto tempo…





(Orlando Fernandes in Alentejo…e outros poemas)

terça-feira, dezembro 06, 2005

Para Ti...



"Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
Nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada.
Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
EU TE AMO!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais...


Agora lê de baixo para cima.





Clarice Lispector

segunda-feira, dezembro 05, 2005

OS DIREITOS DOS DOENTES

esta semana no

SABIA QUE ...?





POÉTICUS
continua a lembrar os nossos Poetas.

Todo dia é menos um dia







Todo dia é menos um dia;
menos um dia para ser feliz;
é menos um dia para dar e receber;
é menos um dia para amar e ser amado;
é menos um dia para ouvir e, principalmente, calar!

Sim, porque calando nem sempre quer dizer
que concordamos com o que ouvimos ou lemos,
mas estamos dando a outrem a chance de pensar,
refletir, saber o que falou ou escreveu.

Saber ouvir é um raro dom, reconheçamos.
Mas saber calar, mais raro ainda.
E como humanos estamos sujeitos a errar.
E nosso erro mais primário, é não saber
ouvir e calar!

Todo dia é menos um dia para dar um sorriso.
Muitas vezes alguém precisa, apenas de um sorriso
para sentir um pouco de felicidade!

Todo dia é menos um dia para dizer:
- Desculpe, eu errei!
Para dizer:
- Perdoe-me por favor, fui injusto!

Todo dia é menos um dia;
Para voltarmos sobre os nossos passos.
De repente descobrimos que estamos muito longe
E já não há mais como encontrar
onde pisamos quando íamos.
Já não conseguiremos distinguir nossos passos
de tantos outros que vieram depois dos nossos.

E se esse dia chega, por mais que voltemos,
estaremos seguindo um caminho, que jamais
nos trará ao ponto de partida.

Por isso use cada dia com sabedoria.
Ouça e cale se não se sentir bem.
Leia e deixe de lado, outra hora você vai conseguir
interpretar melhor e saber o que quis ser dito


(Carlos Drummond de Andrade)

domingo, dezembro 04, 2005

Sonho ou realidade ?...




Procurei-te,
Depois daquele dia aziago.

Imaginava que tudo de novo
seria possível,
que novamente fosses minha.
Nunca o tinhas
deixado de ser…

Não respondeste
ao apelo.
Eu,
Nem quis crer.
Tudo tinhas esquecido?
Tudo tinhas olvidado?

A núvem que
nesse momento
toldou meus olhos
tudo enegreceu.
A própria caminhada
do dia a dia.

Dias, meses, anos,
muitos anos ,
se passaram.

Quantas loucuras.
Quantas mais desilusões.

Num instante
tua imagem
deslisou a meu lado.

Sonho, realidade?

Não houve uma palavra
de lado a lado.
Nossos olhos enevoados
se entenderam.
Tristes somente
se beijaram
num sonho impossível.

O tempo passara.
Passara tanto tempo.

Éramos os mesmos
sorrindo um para o outro.

Tarde demais…

Seguimos nossos destinos,
corações apertados,
olhos tristes.


Continuo à tua procura…



LM Abril/2005

sexta-feira, dezembro 02, 2005

Coração Vagabundo







Meu coração não se cansa

De ter esperança

De um dia ser tudo o que quer

Meu coração de criança

Não é só a lembrança

De um vulto feliz de mulher

Que passou por meus sonhos

Sem dizer adeus

E fez dos olhos meus

Um chorar mais sem fim

Meu coração vagabundo

Quer guardar o mundo

Em mim

(Letra e música de Caetano Veloso)









AUSÊNCIA


Deixa secar no meu rosto
Esse pranto de amor que a presença desatou
Deixa passar o desgosto
Esse gosto da ausência que me restou
Eu tinha feito da saudade
A minha amiga mais constante
E ela a cada instante
Me pedia pra esperar

E foi tudo o que eu fiz, te esperei tanto
Tão sozinho no meu canto
Tendo apenas o meu canto pra cantar
Por isso deixa que o meu pensamento
Ainda lembre um momento a saudade que eu vivi
A tua imagem fiel
Que hoje volta ao meu lado
E que eu sinto que perdi



(Vinícius de Moraes)

quinta-feira, dezembro 01, 2005

Retrato




Um silêncio, um olhar, uma palavra:

Nasceste assim na minha vida,

Inesperada flor de aroma denso,

Tão casual e breve...





Já te visionara no meu sonho,

Imagem de segredo, esparsa ao vento

Da noite rubra, delicada, intacta.

E pressentira teu hálito na sombra

Que minhas mãos desenham, inquietas.





Existias em mim. O teu olhar

Onde cintila, pura, a madrugada,

Guardara-o no meu peito, ó invisível,

Flutuante apelo das raízes

Que teimam em prender-te, minha vida!




(Luis Amaro)