terça-feira, julho 26, 2005

Respigando...



Mineiros em Lisboa a 3 de Agosto


A reunião entre dirigentes do Sindicato da Indústria Mineira do Sul e representantes da Secretaria de Estado da Indústria não se realizou na última quinta-feira, como chegou a estar previsto, mas terá lugar no próximo dia 3 de Agosto. Os dirigentes do sector querem saber de fonte oficial do Governo quando será retomada a exploração na mina de Aljustrel e, ao mesmo tempo, como é que o Estado faz o controlo da extracção na mina de Neves-Corvo, em Castro Verde.





Três novos cursos na Agrária de Beja


A Escola Superior Agrária de Beja (ESAB) abre no próximo ano lectivo com três novos cursos: Gestão da Água, da Rega e do Solo, Agricultura Biológica (em substituição da licenciatura em Engenharia de Sistemas Agrícolas e Ambientais) e Biologia e Recursos Naturais (em substituição de Engenharia Agro-Florestal). A reformulação da oferta formativa da ESAB prende-se com a cativação de alunos e com a procura de novos "mercados" formativos, caso da licenciatura em Gestão da Água e do Solo, "de grande actualidade e de importância regional indiscutível, complementada com competências empresariais de apoio à decisão".



Fábrica de transformação de porco alentejano avança finalmente em Garvão


Um grupo de investidores espera começar, dentro de um mês, a construção de uma unidade industrial em Garvão, no concelho de Ourique. Trata-se da Montaraz de Garvão – Transformação Artesanal de Porco Alentejano, cuja candidatura já foi aprovada pelo Instituto de Financiamento e Apoio ao Desenvolvimento da Agricultura e Pescas e cujo financiamento por fundos comunitários, no valor de um milhão e 600 mil euros, "está garantido".



Combóios decadentes ligam Beja e Pinhal Novo


Mais de centena e meia de utentes da ligação ferroviária regional entre o Pinhal Novo e Beja, na sua maioria trabalhadores e estudantes em Beja, mas residentes nas localidades de Vila Nova da Baronia, Alvito e Cuba, subscreveram um abaixo-assinado, entregue aos responsáveis pela CP – Caminhos de Ferro de Portugal na última sexta-feira, dia 15, onde manifestam o seu desagrado por uma série de situações que lhes causam prejuízo enquanto utilizadores.


A Árvore da Serra


— As árvores, meu filho, não têm alma!

E esta árvore me serve de empecilho...

É preciso cortá-la, pois, meu filho,

Para que eu tenha uma velhice calma!



— Meu pai, por que sua ira não se acalma?!

Não vê que em tudo existe o mesmo brilho?!

Deus pôs almas nos cedros... no junquilho...

Esta árvore, meu pai, possui minh’alma! ...




— Disse — e ajoelhou-se, numa rogativa:

«Não mate a árvore, pai, para que eu viva!»

E quando a árvore, olhando a pátria serra,



Caiu aos golpes do machado bronco,

O moço triste se abraçou com o tronco

E nunca mais se levantou da terra!



(Augusto dos Anjos)