quinta-feira, setembro 01, 2005

ALVITO-OS ROSTOS DE UM PROJECTO






MOVIMENTO INDEPENDENTE


Autárquicas 2005 - ALVITO e VILA NOVA DA BARONIA




"Este Movimento Independente tem como uma das suas principais motivações, criar um novo espaço de cidadania e de intervenção cívica de todos aqueles que não se identificam, no contexto actual, com qualquer das outras candidaturas que se perfilam às próximas eleições autárquicas. Apresenta, desde logo, a característica de acabar com a dependência partidária dos candidatos. Tal não significa que seja um Movimento destituído de qualquer ideologia. A sua matriz ideológica, fortemente democrática, assenta nos conceitos do humanismo, do universalismo e da ecologia humana. Na sua essência, visa conciliar o desenvolvimento económico com a preservação do meio ambiente e com uma maior justiça social. Com vista à concretização destes princípios, pretendemos implementar uma nova forma de administração local, através duma verdadeira democracia participativa, onde toda a população possa intervir na discussão e resolução dos problemas. O exercício democrático dos cidadãos não se confina, nem tão pouco se poderá esgotar, no momento do voto.

A causa que abraçámos é uma causa nobre e os elementos que lhe dão corpo comungam de um conjunto de valores que fornece a indispensável sustentação ao Movimento. O que move este grupo de cidadãos são os interesses colectivos do Concelho de Alvito e não interesses pessoais, clientelistas e/ou de conveniência partidária. A nossa bandeira é o Concelho e é essa que pretendemos levantar bem alto. Para constituirmos e ordenarmos as listas aos vários órgãos não houve negociações para ocupação de lugares e muito menos promessas para candidatos ou familiares! Afirmamo-lo inequivocamente, sem margem para dúvidas! E assim agiremos no futuro! Porque não deixamos, nem deixaremos, hipotecar os valores que defendemos. Porque entendemos que a actividade política pode ser exercida com seriedade, imparcialidade e credibilidade.

Ser autarca não é uma profissão mas o exercício de um cargo, visando o interesse público. Entendemos que a prossecução deste objectivo não se coaduna com negociatas e golpes palacianos. A defesa do interesse público numa autarquia só será possível com isenção, igualdade e transparência nos procedimentos; com justiça e coragem nas decisões; com rigor na gestão dos dinheiros públicos; com uma eficiente gestão e organização dos recursos humanos, dos serviços e das respectivas estruturas funcionais. Com respeito pelos verdadeiros anseios e necessidades das populações a quem se presta um serviço! "

NOTA DO "BEJA": Retirámos o texto acima transcrito do documento publicado, pelo Movimento Independente, em 31 de Agosto de 2005 pelo que pedimos que nos relevem a ousadia.

Para a leitura total deste documento aconselhamos a visita ao site do referido Movimento



Um Sorriso




Um sorriso nesta vida
É sempre agradável ver,
Não custa a quem o dá
E é muito bom receber.

Um sorriso em qualquer boca
Dado ao princípio do dia,
Faz o dia mais brilhante,
Transparecendo de alegria.

Um sorriso verdadeiro
Com sentimento na alma,
Sereniza circunstâncias,
E inspira a paz e a calma.

Um sorriso pode dar-se
Mesmo às vezes sem vontade,
Mas seja lá como for,
Transmite graciosidade.

Um sorriso a qualquer hora
É sempre contagiante,
É uma imagem fagueira,
Que nos fica desse instante.

Um sorriso é saudável
E ao ser humano é preciso.
Ai, como é gratificante,
Ver à chegada um sorriso!…



( Euclides Cavaco)