Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2006
O que é o PROJECTO ESPERANÇA?

Não se pode exprimir por palavras a dor de um pai e de uma mãe ao perder o que de mais precioso têm na vida, o seu filho. Não existem palavras que traduzam o desespero e o sofrimento de uma criança a quem lhe é roubado o mundo em que vive.

Não queremos nem podemos ser indiferentes a toda esta infelicidade que nos rodeia, se cada um de nós der um pouco do seu tempo, do seu trabalho e da sua força podemos mudar algo. O nosso pouco pode levar muita esperança aos que dela vivem.

A internet é um poderoso recurso no combate a este tipo de problemas. Juntos poderemos levar estes rostos a milhares de pessoas.

Não permita que estas crianças caiam no esquecimento. Colabore!


S O S Crianças

Para mais informações visite o site da POLÍCIA JUDICIÁRIA
Imagem
Foto de Mariza-Olhares

Deixa-me dizer-te que o mundo não acaba aqui. Lembrar-te que o sonho não morre, que o desejo permanece e que os meus olhos te procuram.... Deixa-me encontrar-te!


DAVA TUDO

sim, é por amor
que eu me dou sempre mais
quando me olhas nos olhos
como quem chama por mim

sim, é por amor
que eu me dou sem pensar
na tua doce loucura de procurar a paixão

ah, quero sempre mais
ah, quero sempre mais

mas tu nem sempre vens
outra paixão talvez
eu sei esperar e entender
mas dói demais

eu dava tudo para te ter aqui
ao pé de mim outra vez
eu dava tudo para te ter aqui
ao pé de mim outra vez

sim, é por amor
que eu não sei dizer que não
quando me olhas nos olhos
como quem chama por mim

ah, quero sempre mais
ah, quero sempre mais

nem um sinal de ti
à noite perco-me por aí
finjo amar pensando em ti
mas dói demais

eu dava tudo para te ter aqui
ao pé de mim outra vez
eu dava tudo para te ter aqui
ao pé de mim outra vez

(Adelaide Ferreira)
Imagem
Foto de Sónia Guerreiro-1000Imagens



Também hoje recorri ao "baú" das recordações e de lá tirei esta memória que vou partilhar convosco.



O SOLDADINHO DE CHUMBO


Dia 15 de Dezembro dum ano que já se desfez com o rolar dos tempos. Numa aldeia pobrezinha, enfiando por ruas tortas e esburacadas onde a chuva faz poças e a lama preenche todos os espaços, seguindo pelo passeio mal empedrado e sentindo nos ombros a água que escorre dos telhados desembocamos num largo também lamacento com umas árvores a tentarem dar uma ideia de jardim.

As casas térreas, iguais, parecem abandonadas, pois nem uma só pessoa se vê nelas. Tudo fechado, todos abrigados da chuva que inclementemente continua a cair. De repente o postigo, duma dessas casas térreas e iguais, abre-se de mansinho e o rosto seco duma velhinha asssoma-se, espreita e de mansinho também, recolhendo-se, torna a fechar o postigo. Passado pouco tempo o mesmo rosto se assoma, a mesma ansiedade no olhar, o mesmo recolhimento lento e angustian…
Imagem
MARIA FAIA



Eu não sei como te chamas
Ó Maria Faia
Nem que nome te hei-de eu pôr
Ó Maria Faia
Ó Faia Maria

Cravo não que tu és rosa
Ó Maria Faia
Rosa não que tu és flor
Ó Maria Faia
Ó Faia Maria

Não te quero chamar cravo
Ó Maria Faia
Que t'estou a engrandecer
Ó Maria Faia
Ó Faia Maria

Chamo-te antes espelho
Ó Maria Faia
Onde espero me ver
Ó Maria Faia
Ó Faia Maria

O meu amor abalou
Ó Maria Faia
Deu-me uma linda despedida
Ó Maria Faia
Ó Faia Maria

Abarcou-me a mão direita
Ó Maria Faia
Adeus ó prenda querida
Ó Maria Faia
Ó Faia Maria









Menino do Bairro Negro


Olha o sol que vai nascendo
Anda ver o mar
Os meninos vão correndo
Ver o sol chegar

Menino sem condição
Irmão de todos os nus
Tira os olhos do chão
Vem ver a luz

Menino do mal trajar
Um novo dia lá vem
Só quem souber cantar
Vira também

Negro bairro negro
Bairro negro
Onde não há pão
Não há sossego

Menino pobre o teu lar
Queira ou não queira o papão
Há-de um dia cantar
Esta canção

Olha o sol que vai nascendo
Anda ver o mar
Os meninos vão correndo
Ver o sol chegar

Se até da gosto cantar
Imagem
CAROLINA


No dia que faço 2 meses também quis estar aqui convosco.

Tenho recebido as vossas mensagens, os vossos carinhos e as vossas beijocas e hoje venho dizer-vos que gosto muito de todos e agradeço os mimos que me têm enviado.

Muitos beijinhos para os meus amigos(as).

Visite também o SABIA QUE...? e saiba como a nossa privacidade está cada vez mais ameaçada, hoje, com os implantes de chips.
Há também informações de saúde: Problemas cardio vasculares; eczema atópico; níveis de colesterol.

Também o convidamos a ler no POÉTICUS poemas de Jaime Cortesão, Saúl Dias, Conde de Monsaraz entre outros.
Imagem
SOLIDÃO

De noite a mente vagueia
Entre sonhos do passado,
Sonhamos de alma cheia
O tempo que fomos amados.

Foram tempos de loucura,
Aqueles que então vivemos.
Sentíamos amor ternura
Por aqueles que não esquecemos.



Dávamos as mãos e seguíamos
Os sonhos que então vivíamos,
Pensando ser hora certa.

Mas o tempo foi passando,
Outros amores encontrando
Deixam-nos a vida deserta.

01/06
(Olinda)



Foto de António Durães-1000Imagens

ALVITO-DIA MUNDIAL DA MULHER

Imagem
Palavra de Mulher é a designação da iniciativa que irá ter lugar em Alvito, no dia em que se comemora o Dia Mundial da Mulher.

A 8 de Março, terá pois lugar uma actividade no espaço multiusos do Centro Cultural de Alvito, tendo como subtítulo palavra de mulheres dita por homens.
Serão convidados vários homens do concelho a dizer textos, principalmente poesia, de escritoras como Sophia de Mello Breyner, Maria Teresa Horta ou Natália Correia. Também serão lidos textos de autoras anónimas ou pouco conhecidas, sendo a palavra de mulheres no dizer e na voz dos homens, o mote do evento.

Pretende-se assim uma actividade participada por ambos os sexos num dia em que, normalmente, as mulheres apenas comemoram entre si. Trata-se de lembrar as diferentes lutas das mulheres ao longo dos séculos mas, neste caso, lado a lado com os homens.

No final, terá lugar uma prova de vinhos, para ser apreciada e promovida a nova produção vínica do concelho de Alvito: os vinhos da Herdade das Barras, sita em V…
Imagem
Velhos namorados,
Namorados velhos.
Viveram namorando, e se
Enamorando.
Uma vida juntos...
Ei-los ainda, como dois
Pombinhos arrulhantes.

Cabelos brancos,
Mãos dadas...
Passeio no jardim.
Velhice não é o fim.
Romance não tem idade,
Essa é a verdade.

Uma vida juntos,
Namorados em principio,
Namorados pelos anos afora,
Quando a vida for embora,
Namorados ainda que na Eternidade.

Imagem
PÁSSARO CINZENTO


Voa agora, meu pássaro cinzento,
leva contigo a alma de presente;
meus sonhos, minha vida, meu lamento,
transporta em tuas asas mansamente.


Leva para o mar, para o céu, para a eternidade,
logo que hoje desponte a madrugada;
o meu grito de dor e esta saudade,
do tempo em que te davas, descuidada.


Solto de mim, enceta outra viagem,
inventa-me outra vida, outra passagem,
põe cobro ao meu penar, ao meu tormento.


Procura outro começo sem cansaço:
voa livre na vastidão do espaço…
meu coração, meu pássaro cinzento!


(Orlando Fernandes in Alentejo... e outros poemas)

Quando quiseres

Imagem
Foto de André Lopes Arruda-Olhares






Quando quiseres, serei vento!
Que soprará nos teus cabelos
os aromas bebidos nas flores.


Quando quiseres, serei rio!
Que correrá no teu corpo
cantando as águas transparentes.


Quando quiseres, serei ave!
Que voará nos teus pensamentos
pelas sombras dum fim de tarde.


Quando quiseres, serei madrugada!
Que ao de leve acordará em ti
os sonhos dum tempo sem idade.


Quando quiseres, serei mágoa!
Que chorará nos teus olhos
os dias de desencanto.

Quando quiseres, serei primavera!
que enfeitará de rosas vermelhas
a quietude da tua alma ferida.

Quando quiseres, serei vida!
Basta que te rendas num aceno…
e nascerei de novo nos teus braços!



(Orlando Fernandes in Alentejo… e outros poemas)
Imagem
Vou fazer uma canção de amor que
em nada parece uma canção de amor.
Não vou falar de campos, nem de rosas e cravos,
nem de estrelas, nem de luar,
vou apenas falar de saudade.
Vou cantar um amor com saudade,
com saudade de um amor.
Não repetirei as canções de Castro,
nem vou falar como Bandeira ou Neruda.
Cantarei tão somente o amor com saudades de um amor.
Tudo tem um limite, menos a saudade do meu amor.
Tudo tem um fim, menos o meu amor com saudade.
Não é da noite que tiro o verso,
nem é do vento que tiro o som,
retiro da imensa saudade do meu amor.

Sinto saudade, sinto a dor.
Sinto o amor, sinto saudade.



(Germano Rocha)

ALVITO

Imagem
Foto oferecida pelo Alentejodive



V EDIÇÂO DOS JOGOS FLORAIS DO CONCELHO DE ALVITO

O Município de Alvito volta a organizar a V Edição dos Jogos Florais do Concelho de Alvito, que à semelhança da edição anterior tem "Tema Livre", porém todos os trabalhos a concurso terão de incidir sobre o Concelho de Alvito.

As modalidades a concurso são Pintura, Fotografia (Cores e Monocromo), Poesia e Prosa. A participação é gratuita e a data limite para entrega de trabalhos a concurso é 31 de Agosto de 2006, sendo a entrega de prémios efectuada aquando da Comemoração das Jornadas Europeias do Património.

Consulte o regulamento dos Jogos aqui e concorra!


Imagem
CANTAR DE AMIGO



Eu e tu: milhões!…





Entre nós - perto ou longe!

- entre nós rios e mares

montanhas e cordilheiras…





Eu e tu perdidos

nesta distância sem fim do desconhecido.





Eu e tu unidos

para além das cordilheiras

por sobre mares de diferença

na comunhão de nossos destinos confundidos

- a minha e a tua vida

correndo para a confluência

num mesmo Norte.





Eu e tu amassados

nesta angústia que é de nós,

minha e tua,

e mais do que de nós…





Eu e tu

carne do mesmo corpo

amor do mesmo amor

sangue do mesmo sacrificio!





Eu e tu

elos da mesma cadeia

grãos da mesma seara

pedras da mesma muralha!





Eu e tu, que não sei quem és.

Que não sabes quem sou:





- Eu e tu: Amigo! Milhões…


(Joaquim Namorado)

As minhas cinco manias

A Tmara pediu e não podia recusar responder a este questionário:

1ª mania- Normalmente não respondo a estes questionários;

2ª mania- Não há selo de correio ou moeda que não guarde;

3ª mania- Fazer zaping na TV;

4ª mania- Passear sem destino a pé;

5ª mania- Ouvir música anos 60 - sempre.

Não convido ninguém porque acho estas coisas uma seca como diz a Mad.

Beja

Imagem
O município de Beja vai propor ao Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR) a classificação "pioneira" do centro histórico da cidade como "Património Nacional" para valorizar uma intervenção de salvaguarda de imóveis que começou há 20 anos.
Ana Ramôa, da Divisão de Administração Urbanística da autarquia, disse que a proposta deverá ser entregue no IPPAR até ao final do primeiro semestre deste ano.
De acordo com a responsável, trata-se de uma proposta de classificação "diferente e pioneira" porque, explicou, as actuais três classificações do IPAAR só são aplicáveis a imóveis ou monumentos singulares.
"É a primeira vez que um núcleo de edifícios é candidato a Património Nacional", precisou, acrescentando que, com esta candidatura, a autarquia propõe também a criação daquela nova classificação, que poderia ser "aplicável a conjuntos de imóveis", como o centro histórico de Beja.
A ideia de avançar com a proposta, segundo Ana Ram…

Évora

Imagem
Universidade de Évora no feminino


Chamam-se Marias, são portuguesas e são oriundas do Centro e Sul de Portugal. Estudam a tempo inteiro, integram-se no estrato social médio e decidiram concorrer ao Ensino Superior, mais precisamente à Universidade de Évora, pela primeira vez, com o objectivo de conseguir um bom emprego. Alunas com um sucesso escolar reconhecido, visto que fizeram o percurso educacional sem qualquer interrupção, escolheram esta instituição por influência familiar, mas também por esta se situar próxima das suas áreas de residência. Decidiram-se pelo curso para o qual entraram, na primeira opção, por vocação e esperam encontrar nesta Universidade um ensino de qualidade propiciado por bons professores e garante de saídas profissionais. São jovens, e como a própria idade indica, sonham com o seu futuro todos os dias, ansiando por uma formação necessária à vida profissional. É este o perfil dos ingressados na Universidade de Évora no presente ano lectivo.

Este perfil foi e…

Montemor-o-Novo

Imagem
A Câmara Municipal de Montemor-o-Novo e o LIFE-Natureza apresentam mais uma edição de Dias Tranquilos, com propostas matinais, mas também com passeios de final de tarde.

Não deixe de anotar na sua agenda as datas dos Dias Tranquilos:



Monumentos megalíticos em Montemor-o-Novo, 18 de Fevereiro

Charcos e anfíbios, 25 de Fevereiro

As antigas canadas – caminhos de transumância de gado, 18 de Março

Chás, ervas e mezinhas, 25 de Março

Flora protegida de Monfurado, 8 de Abril

A Raça Mertolenga em Montemor-o-Novo, 29 de Abril

Do cereal ao pão, 6 de Maio

Nas asas de uma borboleta, 20 de Maio

Os sons nocturnos da Serra de Monfurado, 3 de Junho

Cataventos: um olhar atento para os telhados, 17 de Junho

O ferreiro e a aldraba, 1 de Julho

Morcegos de Monfurado os seus Abrigos, 7 de Julho


A Vergonha da Humanidade

Imagem
Não deixe de ler. Também pode ver vídeos. Mas sobretudo deve aderir a esta campanha.

Visite o SABIA QUE...? veja os blogs que já aderiram e apoie também esta causa.


"Quando a última árvore tiver caído,
Quando o último rio tiver secado,
Quando o último peixe for pescado,
Vocês vão entender que dinheiro não se come!"

Greenpeace