quinta-feira, fevereiro 09, 2006




Vou fazer uma canção de amor que
em nada parece uma canção de amor.
Não vou falar de campos, nem de rosas e cravos,
nem de estrelas, nem de luar,
vou apenas falar de saudade.
Vou cantar um amor com saudade,
com saudade de um amor.
Não repetirei as canções de Castro,
nem vou falar como Bandeira ou Neruda.
Cantarei tão somente o amor com saudades de um amor.
Tudo tem um limite, menos a saudade do meu amor.
Tudo tem um fim, menos o meu amor com saudade.
Não é da noite que tiro o verso,
nem é do vento que tiro o som,
retiro da imensa saudade do meu amor.

Sinto saudade, sinto a dor.
Sinto o amor, sinto saudade.



(Germano Rocha)

3 comentários:

wind disse...

Belo poema. Confesso que desconhecia este poeta. beijos

Isabel-F. disse...

...bem bonito...como a Wind, tb não conhecia...


bfds
bj

Kalinka disse...

LINDO...
Nunca ouvi falar deste poeta.

Certas frases são mesmo uma delícia:
vou apenas falar de saudade.
Vou cantar um amor com saudade,
com saudade de um amor.
Tudo tem um limite, menos a saudade do meu amor.
Tudo tem um fim, menos o meu amor com saudade.
Sinto saudade, sinto a dor.
Sinto o amor, sinto saudade.


Também poderei dizer:
Sinto saudade, sinto a dor
Queria um amor, sinto saudade...
Beijos e bom fim de semana.