Retorno

VD VALERIJ-Photo SIG



Fenece o pôr-do-sol no horizonte,
Tingido em tons de rosa e de carmim,
E a tarde, escorregando pelo monte,
Envolve-me num manto de cetim.


Se pudesse, virava eu este momento,
Em ondas de amizade e de ternura
Que viessem, trazidas pelo vento,
Pôr cobro a esta minha desventura.


Profunda é a saudade no meu peito,
Dum sonho que acendi, e jaz desfeito,
Perdido nos caminhos do cansaço.


Quisera eu possuir mãos milagrosas,
Para entornar em ti, um mar de rosas…
E em troca, ter de novo o teu abraço.




Orlando Fernandes-Alentejo e outros poemas



































Comentários

Lisa disse…
Ebaaaaaaaaaa primeira a comentar...rsrsrs...

Lindas flores e lindo poema...

Desejo uma semana recheado de carinho e amor pra ti...

PS - Um grande beijo com ternura pra Carolzinha...

Beijos e beijos...
wind disse…
Do poema já sabes o que penso, os parabéns estão muito bonitos, seja lá para quem for:) beijos
MARIA VALADAS disse…
A anunciar a Primavera...que formoso jardim com as mais belas flores nos ofereces Lumife....
Simplesmente....OBRIGADA

P.S...O poema está lindissimo

Maria

Mensagens populares deste blogue

ACORDANDO

ALDA GUERREIRO

ANRIQUE PAÇO D'ARCOS - UM POETA PORTUGUÊS...