Avançar para o conteúdo principal





Dia dos Monumentos e Sítios Históricos


O Município de Alvito assinalou o Dia dos Monumentos e Sítios Históricos, através da oferta às Escolas do 1º Ciclo e à Cooperativa de Ensino do Concelho, de alguns Manuais de Educação em Património Arquitectónico, editados pelo GECoRPA – Grémio das Empresas de Conservação e Restauro do Património Arquitectónico.

Tratou-se de uma forma de sensibilização da comunidade estudantil para a valorização e salvaguarda do importante Património concelhio, que se distingue (entre outras particularidades) por ser o maior repositório de Manuelino do Baixo Alentejo.
“Porque é de pequenino que se torce o pepino”, as novas gerações são as que irão ter a responsabilidade pela herança histórica, cultural e artística do passado.

Também no âmbito da efeméride referida acima, irá ser guiada uma visita ao concelho na tarde de sábado, dia 22 de Abril, para todos os participantes no I Encontro de Blogs de Alvito.

Este Encontro será concluído com um concerto por alunos do Conservatório Regional do Baixo Alentejo, na Igreja Matriz de Alvito, cerca das 18h00, justamente porque património e música se harmonizam num diálogo perfeito!


Comentários

wind disse…
Eu bem digo que aí se faz cultura:) beijos
Anónimo disse…
Your website has a useful information for beginners like me.
»

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij