segunda-feira, abril 17, 2006





INTERROGAÇÃO


Já cavalguei esperanças e vontades.
Já quis ser água calma em mar profundo.
Inconstante, perdi minhas verdades
Pelas margens dos rios em todo o mundo.


Sonhei caminhos com cheiros de jasmim.
Chorei os desesperos incontidos.
Matei a turbulência que há em mim
E invejei-te a calma dos sentidos.


À minha frustração dando guarida
Fingi que jamais fora derrotado.
Gritei de felicidade… mas menti!


No jogo em que apostei toda uma vida
Interrogo-me já desalentado…
Será que te ganhei, ou te perdi?




(Orlando Fernandes in Fronteiras do Sonho)
(Foto de Kristinna-Olhares)

4 comentários:

wind disse...

Sempre as interrogações e mais um belo poema deste autor:) Bela foto. beijos

Kalinka disse...

Não sei como ainda arranjas tempo para postar...mas, deixa-me que te diga: BELA IMAGEM.
Tens sempre muito bom gosto.
Beijokas e até sempre.

Cravadinho disse...

Tens um desafio nas Portas de Mértola.

bitu disse...

Bonitos todos os poemas que ofereces a todos os visitantes! Gostaria de estar presente no almoço convivivio mas, infelizmente, não dá. Acabei de regressar de férias do nosso belo Alentejo e já tinha um compromisso para Castelo Branco...fica para a próxima. beijokitas e k tudo corra pelo melhor