segunda-feira, maio 29, 2006

foto de G Steve-photo net





CANÇÃO


Nunca eu tivera querido
dizer palavra tão louca:
bateu-me o vento na boca,
e depois no teu ouvido.
Levou somente a palavra,
deixou ficar o sentido.
O sentido está guardado
no rosto com que te miro,
neste perdido suspiro
que te segue alucinado,
no meu sorriso suspenso
como um beijo malogrado.
Nunca ninguém viu ninguém
que o amor pusesse tão triste.
Essa tristeza não viste,
e eu sei que ela se vê bem...
Só se aquele mesmo vento
fechou teus olhos, também...


(Cecília Meireles)

4 comentários:

della-porther disse...

Querido...lindo poema de cecília.
Postei um comentário no meu blog (cidade sitiada) mas que de modo algum se refere a você.
Apareça sempre você foi, é e continuará sendo bem vindo amigo querido. Um grande beijo
Estarei por aqui sempre.
Della-Porther (Emília)

Lisa disse...

Olá Lumife...

O poema "Canção"...

"O sentido está guardado
no rosto com que te miro,
neste perdido suspiro
que te segue alucinado,
no meu sorriso suspenso
como um beijo malogrado."

Simplesmente linda!!

Desejo uma semana super doce e terna...

Beijos super especial pra linda Carolzinha...

E um grande abraço para o Vozito ternurento =P ;))

agua_quente disse...

Muito bonito, o poema de Cecília Meireles. Gosto do teu bom gosto!:)
Beijos

Lmatta disse...

lindo poema
gostei
beijocas