sábado, julho 22, 2006

Foto de Katrin Taepke - (enjoy the silence)





VAZIO



Olho,
Não te vejo.

Falo,
Não te ouço.

Quero-te?
Não sei.

Existes?
Só em sonho.

E é para ti
Este poema…
Sem voz,
Mas com amor.

Sem olhar,
Mas com ternura.

Com tristeza.
Sem rancor.

Com saudade
Do teu calor.

Sei…
Sei que te quis.

Sei que és
A ilusão
Duma ternura
Doce e pura,
Que não terá amanhã.

06/07



(Olinda Bonito)

12 comentários:

Mily disse...

Que bom ter recebido tua visita, meu amigo, e melhor ainda saber que coisas boas tem acontecido para ti. Bem mereces essa felicidade que te chegou de forma tão abençoada.

Gostei imensamente da postagem de hoje e a imagem diz tudo, e a sugestividade do título no apreciar do silêncio forma um verdadeiro poema que toca profundamente a alma.

Soubeste bem associar a imagem aos versos da Olinda Bonito, integrados de uma forma suave num momento de nostalgia, quando a conscientização da ausência/presença do outro se faz de maneira profundamente bela.

Que esse período de paz se prolongue em tua vida, amigo querido, e que a felicidade esteja sempre na tua alma fazendo renascer flores, estrelas e sorrisos.

Deixo-te beijos carinhosos para dizer de minha admiração por ti e por tudo que representas nesse mundo blogueiro.

Fica na paz e no amor de Deus, pois Ele certamente te guarda no Seu bondoso coração de Pai.

Cristiano Contreiras disse...

lindo texto!

wind disse...

Lindísimo poema com que voltaste:)
Beijos

batista filho disse...

Meu amigo, o reencontro com as pessoas que nos caras é sempre motivo de festa: a alma se nos ilumina.

Um abraço fraterno.

Arte por um Canudo 2 disse...

Brilhante regresso com este excelente poema..Lindo e com muita ternura.Abraço

PCF disse...

:)

meialua disse...

A imagem é linda.
Um beijinho aqui da meialua que continua atarefada ;P

Barão da Tróia II disse...

Caso para dizer, Oh Linda que Bonito.

Anónimo disse...

Olinda,

Que doçura de surpresa! Sempre fico emocionada com as suas palavras. Obrigada por nos inundar a alma com sentimentoos lindos.

Jinhos doces e apertadinhos da vossa eterna amiga Lisa.

Anónimo disse...

Olinda,

Que doçura de surpresa! Sempre fico emocionada com as suas palavras. Obrigada por nos inundar a alma com sentimentoos lindos.

Jinhos doces e apertadinhos da vossa eterna amiga Lisa.

Lmatta disse...

Lindo poema
gosto
beijos

AnaGarrett disse...

Belo poema.
Beijos