segunda-feira, agosto 07, 2006

PENÉLOPE


foto de Dave Levingston




Penélope

mais do que um sonho: comoção!
sinto-me tonto, enternecido,
quando, de noite, as minhas mãos
são o teu único vestido.

e recompões com essa veste,
que eu, sem saber, tinha tecido,
todo o pudor que desfizeste
como uma teia sem sentido;
todo o pudor que desfizeste
a meu pedido.

mas nesse manto que desfias,
e que depois voltas a pôr,
eu reconheço os melhores dias
do nosso amor.



David Mourão Ferreira

8 comentários:

Paulo Sempre disse...

Aqui esta um "blog" cheio de criatividade poetica e com fotos e desenhos a condizer....
Vou voltar, estou certo....
Cheguei aqui por "BEJA" afinal a minha terra natal....a "velha" «Pax Júlia» agora também nestas coisas do virtual......!!!!!

Abraço
Paulo

Lmatta disse...

bela escolha
lindo poema
beijos

Isabel-F. disse...

Belo poema.
Gostei de ler.

Bjs

lazuli disse...

parece ue combinámos falar na Penélope. Ainda bem que voltaste e com um poema lindissimo.
E obrigada..mas basta que leias e se possivel que gostes.

beijos

wind disse...

Um dos mais belos poemas de DMF. Bela escolha de foto:)
beijos

O Chaparro disse...

depois de uma luta com o Bill gates venho deixar aqui um abraço, compadre

Vernicas disse...

ola amigo vim apenas deixar uma beijoka e dizer até breve*

Isabel-F. disse...

bom fim de semana
bj