domingo, outubro 29, 2006

Falls embrace de Lauri Blank





AMORES DE VERÃO


A areia era branca,
Plumas de gaivota
Leves e fugidias
Adornavam a praia.

Uma praia de sonho.

O nosso amor ali,
Puro como a areia
Que o mar lança nas ondas,
Incandescente e forte
Como o vermelho do céu
No pôr-do-sol à noitinha.

E,quando a noite chegava
E brisa ligeira surgia,
A adrenalina da felicidade
Fazia voar os pensamentos,
E juntos sonhávamos no tempo.

O Inverno aproximou-se.

Com ele a tristeza dos dias,
A brisa tornou-se forte
Afastou as plumas das gaivotas,
As ondas em turbilhão
Levaram a areia e os sonhos.

O Sol arrefeceu.

Não havia pôr-de-sóis rubros,
E destruídos pelo vento gélido
Foram-se os sonhos ardentes
E o amor veemente,
Que nos deixaram na alma
A melancolia da desilusão,
Dum amor enterrado na areia
Numa praia de sonho
Adornada de plumas de gaivota.


(Olinda Bonito -08/06)

4 comentários:

Barão da Tróia II disse...

Já vi que o amigo voltou em grande, boa semana.

Anónimo disse...

É sempre uma alegria renovada conversar com quem estabelecemos laços fraternos.
Ouvindo Sarah Brightman e conhecendo um belo poema de Olinda Bonito, mais motivos para agradecer, caro amigo.

Nesse retorno à blogosfera, por uma série de motivos, procurarei me ater aos sítios que considero realmente especiais - você incluso, é claro!

Deixo o meu abraço fraterno

batista filho

Sulista disse...

Lumife,

Livra mas que grande ausência! ainda bem que já terminou :-) espero que tenhas sempre recebido os meus emails...

wellcame back à blogosfera! Já ná era sem tempo ;-)

Vou-te 'linkar' que só agora vi que por engano, não estás lá na lista :-O

ps- pena não ter sabido da iniciativa do post abaixo antes...

beijinhos

Paula Raposo disse...

Belíssimo poema! Cheio de sensibilidade. Gosto.