Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2007

LENDA DO MILAGRE DE OURIQUE

A Batalha de Ourique é um episódio simbólico para a monarquia portuguesa, pois conta-se que foi nela que D. Afonso Henriques foi pela primeira vez aclamado rei de Portugal, em 25 de Julho de 1139. Foi no campo de Ourique que se defrontaram o exército cristão e os cinco reis mouros de Sevilha, Badajoz, Elvas, Évora e Beja e os seus guerreiros, que ocupavam o sul da península. A lenda conta que um pouco antes da batalha, D. Afonso Henriques foi visitado por um velho homem que o rei já tinha visto em sonhos e que lhe fez uma revelação profética de vitória. Contou-lhe ainda que "sem dúvida Ele pôs sobre vós e sobre a vossa geração os olhos da Sua Misericórdia, até à décima sexta descendência, na qual se diminuirá a sucessão. Mas nela, assim diminuída, Ele tornará a pôr os olhos e verá." O rei deveria ainda, na noite seguinte, sair do acampamento sozinho logo que ouvisse a sineta da ermida onde o velho vivia, o que aconteceu. O rei foi surpreendido por um raio de luz que progress…

FURTO EM BEJA

Furtaram essa máquina na loja de Zé Espinho.
Se alguém souber alguma coisa, que ligue para o nº 284 321 192.
Obrigado

GRAVURA ALENTEJANA

Por entre casas brancas
Sol e distância
Por entre oliveiras e vinhedos
Ânsias e medos
Por entre espigas e bolotas
A espuma dos olhos
Na terra seca e no calor
O sabor a suor
Nas almas sem mistério
A luz apenas como refrigério
E na dor das horas imoladas
Silêncio e nada.


Autor: José A. Palma Caetano
Foto de Aguinaldo Vera-Cruz

ARTE PÚBLICA

O MUNDO DA GENTE

...para todos os que tragam nos olhos uma mão cheia de feno e nas palavras um pintassilgo.


Pensa que o mundo está cheio de gente que luta
para que um rio de lodo não se atravesse entre a vida e o sonho.





Todos tivemos infância:
só que alguns, mais do que outros,
a perderam na distância.

Eduardo Olímpio




A Arte Pública, apresenta O MUNDO DA GENTE , a partir de textos de Um Girassol chamado Beatriz e de António dos Olhos Tristes do escritor Eduardo Olímpio.

Uma viagem sobre a ternura e as cumplicidades de que se tecem as relações humanas - nas diferenças e nas semelhanças .


A Arte Pública tem o prazer de encenar um autor que toca no coração das pessoas com a simplicidade das coisas ditas, porque vividas: Eduardo Olímpio.



Toca-nos a escrita deste autor porque, despida de artifícios literários, reveste de poesia as pequenas coisas do quotidiano e retém, com a marca da oralidade, a memória da infância retida num tempo e num espaço rural.



Eduardo Olímpio nasce e cresce no Baixo…

ALVITO - 7º ENCONTRO TRANSNACIONAL - 22 a 27 DE MAIO

Território i9tur volta a ser palco de Encontro Transnacional

PORTUGAL, ESPANHA, ESLOVÁQUIA E ITÁLIA COOPERAM NO DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE ALVITO, CUBA, FERREIRA DO ALENTEJO E VIDIGUEIRA

A decorrer entre os próximos dias 22 e 27 de Maio, o 7º Encontro de Trabalho Transnacional trará mais uma vez ao Alentejo o grupo de trabalho responsável pela iniciativa CreaTour.
Fundada num Acordo de Cooperação estabelecido entre a parceria do projecto i9tur e outras 3 parcerias de Espanha (Avia Crea Futuro), Eslováquia (Nadacia Skola dokoran) e Itália (STAF), esta iniciativa junta organizações públicas e privadas dos vários países, empenhadas em explorar e partilhar boas práticas de promoção e estímulo à criação de empresas e de emprego.
De entre várias acções de apoio e promoção do empreendedorismo turístico, o programa do encontro prevê a apresentação oficial do Prémio Melhores Ideias de Negócio (Best Business Ideas Award), um concurso internacional aberto a todos aqueles que queiram implementar a…

ALVITO - 04 a 10 JUNHO -AS ERVAS DA BARONIA

“ As Ervas da Baronia”, é a designação Ciclo das Ervas na Cozinha, que teve início no concelho de Alvito, em Fevereiro, com uma semana gastronómica especialmente dedicada aos pratos confeccionados à base de Espargos , Catacuzes e Carrasquinhas.

A segunda semana é dedicada às Beldroegas e decorrerá no concelho, entre os dias 4 e 10 de Junho.

Pratos como: Sopa de Beldroegas, Açorda de Beldroegas com Queijo e Ovos, Açorda de Beldroegas com Bacalhau, Açorda de Beldroegas com Camarão e Amêijoas, entre outros, poderão ser apreciados nos seguintes restaurantes aderentes: "O Buraco da Zorra" , "O Feio" e "A Markádia" , em Alvito e "Avenida", "Bica Nova", "O Camões" e "O Casão", em Vila Nova da Baronia.

A última semana do ciclo será dedicado às hortelãs, coentros e poejos -"Aromas campestres à Moda da nossa Gente", e decorrerá de 29 de Outubro a 4 de Novembro.

O Município de Alvito, enquanto entidade organizadora d…

ALVITO - 29 JUNHO - V FESTA DO BARÃO

A Câmara Municipal de Alvito realiza no dia 29 de Junho (sexta-feira), a partir das 19h, no Largo das Alcaçarias, em Alvito a 5ª Festa do Barão.

A Festa do Barão é uma recriação tardo-medieval, à moda da Baronia de Alvito, que inclui teatro, malabarismo, música e danças, torneio a cavalo, falcoaria e um grandioso repasto pela noite dentro.

Venha passar a noite em Alvito!

Inscrições até ao dia 22 de Junho:
Posto de Turismo
Tel.: 284 485 440
turismo @cm-alvito.pt



Alvito um concelho à sua espera...

S. Leonardo de Galafura

"Aquele poema de Torga não lhe saía da cabeça. O autor dos Contos da Montanha nasceu ali ao lado e a sua visão telúrica sempre o impressionara. Algo terá este lugar para tanto ter fascinado o poeta."(palavras e foto de A Desenhar a quem dedico este "post" desejando rápida e franca recuperação)







À proa dum navio de penedos,
A navegar num doce mar de mosto,
Capitão no seu posto
De comando,
S. Leonardo vai sulcando
As ondas
Da eternidade,
Sem pressa de chegar ao seu destino.
Ancorado e feliz no cais humano,
É num antecipado desengano
Que ruma em direcção ao cais divino.


Lá não terá socalcos
Nem vinhedos
Na menina dos olhos deslumbrados;
Doiros desaguados
Serão charcos de luz
Envelhecida;
Rasos, todos os montes
Deixarão prolongar os horizontes
Até onde se extinga a cor da vida.


Por isso, é devagar que se aproxima
Da bem-aventurança.
É lentamente que o rabelo avança
Debaixo dos seus pés de marinheiro.
E cada hora a mais que gasta no caminho
É um sorvo a mais de cheiro
A terra e rosmaninho!

Miguel T…

BEBIDO O LUAR

Salvador Dali






Bebido o luar, ébrios de horizontes,
Julgamos que viver era abraçar
O rumor dos pinhais, o azul dos montes
E todos os jardins verdes do mar.

Mas solitários somos e passamos,
Não são nossos os frutos nem as flores,
O céu e o mar apagam-se exteriores
E tornam-se os fantasmas que sonhamos.

Porquê jardins que nós não colheremos
Límpidos nas auroras a nascer,
Porquê o céu e o mar se não seremos
Nunca os deuses capazes de os viver.



(Sophia de Mello Breyner Andresen)

Homenagem a Adriano Correia de Oliveira, no 65º aniversário do seu nascimento

Programa Comemorativo do 65º Aniversário
do Nascimento de Adriano Correia de Oliveira




5 de Maio 2007

15,30 horas

Auditório Municipal de Gaia




Actuação:

Uxia
Zeca Medeiros
Brigada Vítor Jara
Balada de Outono
Grupo Coral dos Professores
e Educadores de V. N. Gaia
Coro da Justiça
Orfeão de Oliveira do Douro

Comissão Organizadora:

Centro Artístico, Cultural e Desportivo Adriano Correia de Oliveira
ACMA
A.R. Restauradores Avintenses
Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto
C. Concelhia do PCP de V. N. Gaia
Onda Verde
União Académica de Avintes
UPP - Universidade Popular do Porto
Apoios:

Plebus Avintenses
Câmara Municipal de V. N. Gaia

------------------------


Agradeço a divulgação deste evento e, se possível, a vossa presença no próximo sábado, pelas 15,30 horas, no Auditório Municipal de Gaia.

Para qualquer informação:

centroadrianocorreiaoliveira@gmail.com

Conheci hoje e saúdo com amizade o CHUVISCOS

Dia Internacional da Liberdade de Imprensa

Querido amigo,

Querida amiga,

3 de mayo, el Día Internacional de la Libertad de Prensa, decenas de periodistas y ciberdisidentes seguirán en diferentes cárceles del mundo por haber ejercido su derecho a expresar su opinión. Esta amenaza también pesa sobre multitud de artistas. En Amnistía Internacional estamos decididos a combatir para que nadie pueda amordazar sus palabras. Por eso hemos creado la colección Arte Implicado y te invitamos a conocerla ahora. ¡Espero que te guste!

Esteban Beltrán
Director – Amnistía Internacional

2º ENCONTRO DE BLOGS EM ALVITO

Conforme prometido aqui apresentamos o trabalho que a Drª Paula Silva nos enviou para ser lido no 2º Encontro de Blogs em Alvito. Na altura não foi possível ser transmitido aos Participantes mas aqui o deixamos para leitura e análise e para ser comentado.

"Cara organização, caros colegas, cara assistência,
Compromissos laborais impedem-me de estar presente neste segundo encontro na histórica vila de Alvito. No entanto, tenho o enorme prazer de partilhar convosco uma reflexão acerca dos resultados da minha tese de mestrado sobre a blogosfera portuguesa.

Prometendo ser breve, porque não há maior aborrecimento do que não estar presente e mesmo assim ser abusiva, vou directa ao assunto.



O último século viu os media impressos, a rádio e a televisão tornarem-se objectos de consumo massificados e hoje, a cada minuto que passa, há novos computadores a interligarem-se, novas pessoas a entrarem na Rede e novas informações a serem aí colocadas, ao alcance de “todos”.
Algo de profundo está a a…

1º M A I O

1º. MAIO

Há Maio em cada rosto
em cada olhar
que passa pelo asfalto da Avenida
Há Maio em cada braço
que se ergue
há Maio em cada corpo em cada vida

Há Maio em cada voz
que se levanta
há Maio em cada punho que se estende
há Maio em cada passo
que se anda
há Maio em cada cravo que se vende

Há Maio em cada verso
que se canta
há Maio em cada uma das canções
há Maio que se sente
e contagia
no sorriso feliz das multidões

Há Maio nas bandeiras
que flutuam
e mancham de vermelho
o céu de anil
Há Maio de certeza
em cada peito
que sabe respirar o ar de Abril

Mas há Maio sobretudo
no poema
que se escreve sem ler o dicionário
porque Maio há-de ser
mais do que um grito
porque Maio é ainda necessário

Canto Maio e se canto
logo existo
que o meu canto de Maio é solidário
com o canto que escuto
e em que medito
e que sai da boca do operário

(Fernando Peixoto)



Com a devida vénia ao Movimentum