quinta-feira, agosto 16, 2007

NÃO PASSARÃO ! -Miguel Torga



NÃO PASSARÃO

Não desesperes, Mãe!
O último triunfo é interdito
Aos heróis que o não são.
Lembra-te do teu grito:
Não passarão!

Não passarão!
Só mesmo se parasse o coração
Que te bate no peito.
Só mesmo se pudesse haver sentido
Entre o sangue vertido
E o sonho desfeito.

Só mesmo se a raiz bebesse em lodo
De traição e de crime.
Só mesmo se não fosse o mundo todo
Que na tua tragédia se redime.

Não passarão!
Arde a seara, mas dum simples grão
Nasce o trigal de novo.
Morrem filhos e filhas da nação,
Não morre um povo!

Não passarão!
Seja qual for a fúria da agressão,
As forças que te querem jugular
Não poderão passar
Sobre a dor infinita desse não
Que a terra inteira ouviu
E repetiu:
Não passarão!


Miguel Torga in Poemas Ibéricos, 1965

8 comentários:

TMara disse...

belo o poema. Frágila nossa determinação enquanto povo, pois tudo deixamos passar....
Bjs meu amigo-quase-parente.
Luz e paz

TMara disse...

frágil a...........

feiradecastro disse...

Obrigado pela transcrição deste poema lindo e, infelizmente, t~eo actual nos dias de hoje.
Ajuda, inclusive, a compreender a razão do desprezo votado às comemorações do centenário de Torga pelas entidades oficiais.

c valente disse...

Nada a comentar é Torga
saudações amigas bom regresso

Olhos de mel disse...

Aos poucos vou conhecendo a bela obra de Miguel Torga. E cada vez mais me encanto.
Fique com Deus! Beijos

helena disse...

PLÁGIOS DENÚNCIA

kml
SE ESSE POEMA É SEU ESTÁ TB COM OUTRA AUTORIA E TÍTULO DIFERENTE EM:http://recantodasletras.uol.com.br/poesias/583261HÁ OUTROS SEUS TB LÁ, COM TÍTULOS TROCADOS.UM ABRAÇO
OBS:Todos os textos poemas ou pensamentos aqui postados são de minha autoria assim como todas as fotos, quando não assinaladas pelos seu devidos autores
OBRIGADA KML por ter despoletado essa situação, pois, o que se encontra postado nesse recanto de letras por Lucinha Araujo é um plágio daquilo que escrevo, mas devo acrescentar que não é o único blogue onde estou plagiada
O que escrevo não sei se é bom ou não, mas, assinar textos que não são das referidas pessoas que o fazem, é no mínimo fora de ética, e queria chamar a atençao de todos os bloguistas que se ajudassem mutuamente a denunciar estes factos.
Por mim só sinto pena da cobardia dessas pessoas

© Piedade Araújo Sol
http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/
A plagiadora chama-se Lucinha Araújo

jorge vicente disse...

nunca passarão porque as palavras do nosso "orfeu rebelde" de são martinho de anta são palavras de fogo e de extrema sensibilidade.

um abraço
jorge

Anónimo disse...

Em relação ao título do poema qual o sentido antecipiado que lhe podemos dar, considerando, nomeadamente, o valor do advérbio de negação e do tempo verbal utilizado e a indeterminação do sujeito da frase?