quarta-feira, agosto 15, 2007

No tempo em que éramos felizes...




no tempo em que éramos felizes não chovia.
levantávamo-nos juntos, abraçados ao sol.
as manhãs eram um céu infinito. o nosso amor
era as manhãs. no tempo em que éramos felizes
o horizonte tocava-se com a ponta dos dedos.
as marés traziam o fim da tarde e não víamos
mais do que o olhar um do outro. brincávamos
e éramos crianças felizes. às vezes ainda
te espero como te esperava quando chegavas
com o uniforme lindo da tua inocência. há muito
tempo que te espero. há muito tempo que não vens.

José Luis Peixoto
(A criança em ruínas)

Foto de Pascal Renoux

10 comentários:

MARIA disse...

Olá Lumife,

Bom ver-te de regresso de férias, retemperado, espero.
É uma ternura o texto que escolheste. Aliás o entrar no Beja é sempre doce embalo ao coração e aos sentidos.
Sabes,
Com esses olhos vejo-te sempre!

Olhos de Mel disse...

Muito bom ter você de volta. Mas são coisas da vida. Hoje nada mais tem a cor de antes, a inocência foi ultrajada, não se tem mais tempo de apreciar a natureza, o romantismo acabou. Lindo, viu?
Beijos

TMara disse...

olá amigo-quase-parente, bem-vindos.
Fui ao Aliciante. Li atentamente, deixei um mlongo comentário. Mandei entrar, apareceu uma indicação: espere enquanto o seu comnetário....
Esperei, esperi e esperei....
SDepois deu erro algures e o longo comentáriuo desapareceu. Paciência. Voltar a escrever tudo, não dá!
Bjs para todos
Bom restinho de feriado

Teresa David disse...

Que venhas revigorado é o que desejo. É exactamente para isso que as férias servem!
As palavras do Peixoto que aqui publicas tocaram-me de uma forma muito forte. Nostalgicamente gostei muito!
Bjs para todos
TD

TMara disse...

belo texto poético de José Luis Peixoto. Já conhecia este, creio k de um jornal há tempos. Mas muito belo e bem complementado com a foto escolhida. Bjoca

irneh disse...

Um poema bem escolhido, de um poeta da minha terra.

Beijinhos

EMALMADA disse...

Bom "post" para regresso de férias.
Obrigado pela retribuição da visita.

Miminho do bebé disse...

Já de regresso! para nós é bom para si mais uns dias se calhar sabiam bem.
Que poema lindo,linda forma recomeçar.
beijs

Alexandre disse...

José Luís Peixoto, alentejano de gema, da terra de minha mãe, Galveias ! Só podia ser!!!

Um abraço!!!

Maria disse...

Um texto lindo de um livro que eu amo.