domingo, setembro 30, 2007

Antigamente havia em mim...

Foto de Mariah-Olhares



Antigamente havia em mim um nome gravado a fogo e eu
morria por ele. Eu fechava os olhos e o nome pedia-me a luz,
a manhã, a música. Antigamente eu imaginava a delicadeza,
as florestas, os bosques reduzidos ao silêncio pelos subterrâneos

da tarde, e ser tocado no rosto era ser ferido por uma imensa
beleza, pelos olhos da planície, como um animal adormecido,
como um lugar onde deitar a cabeça e adormecer sonhando
com o deserto. No deserto eu estava a salvo, caminhando nos

declives e havia palavras imensas, palavras como o trigo e o mar
e as raízes e os relâmpagos e um rosto e os campos do Outono
e isso era como ficar cego no meio da luz estremecendo entre
as poeiras, as cores da manhã, as veredas dos bosques. E eu olho

fixamente esse rosto de fogo, toco uma vez essas mãos, amo
demoradamente a distância, comovo-me perdido na sua
voz, enquanto passa no mundo uma estranha ventania.



Francisco José Viegas

10 comentários:

MARIA disse...

Este poema é sublime.
Declamado por ti deveria resultar como uma voz formada no encanto das palavras infinitamentes belas.
Obrigada.
A música de fundo também produz o mesmo efeito arrebatador.
Um beijinho.
Maria

elsa nyny disse...

oLÁ!!!!

Convido-te a escrever uma CARTA POR DARFUR!
http://eu-estou-aki.blogspot.com

bjts

Olhos de mel disse...

Olá meu amigo! Como sempre um belo poema!
Que sua semana seja de grandes realizações
Beijos

Fernanda e Poemas disse...

Olá, grata pela visita ao meu cantinho.
Este poema é lindíssimo;
Adorei!!!!!!!!!
Uma boa semana!
Beijinhos!
Fernandinha

JOSÉ NEVES disse...

Um poema fabuloso, palavras verdadeiramente mágicas.

Parabéns e um Abraço.

jorge vicente disse...

um grande poema!!!

o francisco josé viegas publicou entretanto alguns poemas numa antologia em que participa o "nosso" poeta José Félix.

O link é este:

http://antologiadoesqeucimento2.blogspot.com/2006_03_01_archive.html

um abraço
jorge

peciscas disse...

Excelente o texto e a música que por aí se ouve.

Naeno disse...

Lindo poema. Diria mais, repetidas vezes, a mesma frase.

Um abraço
Naeno

carla granja disse...

olá! é de facto um poema belo e do qual gostei muito e a musica tmb acompanha a leitura.
espero k me venhas visitar:)
uma boa semana para ti
bjo
carla granja

RCataluna disse...

Muito bonito!

Abraço e boa semana!