sexta-feira, setembro 14, 2007

Poema do regresso

Foto de Stanmarek (One Photo)


Venho do fundo escuro de uma noite implacável,
e contemplo os astros com um gesto de assombro.
Ao chegar à tua porta me confesso culpável,
e uma pomba branca se me pousa no ombro

Meu coração humilde se detém em tua porta,
com a mão estendida como um velho mendigo;
e teu cachorro me late de alegria na horta,
porque, apesar de tudo segue sendo meu amigo.

Ao fim cresceu o roseiral aquele que não crescia
e agora oferece suas rosas atrás da grade de ferro;
Eu também hei mudado muito desde aquele dia,
pois não tem estrelas as noites do exílio.

Talvez tua alma está aberta atrás da porta fechada;
porém ao abrir tua porta, como se abre a um mendigo,
olha-me docemente, sem perguntar-me nada,
e saberás que não hei voltado... porque estava contigo.



José Angel Buesa
Tradução Maria Teresa Almeida Pina

7 comentários:

jorge vicente disse...

tenho um desafio para ti no meu blog.

um abraço
jorge

RCataluna disse...

Bem bonito!

Abraço e bom fim-de-semana!

MARIA disse...

Olá Lumife.
Gostei muito do poema de hoje.
A bem da verdade, gosto sempre dos poemas que seleccionas.
No caso do poema de hoje, eu que tenho sempre a porta da minha alma aberta para um amor sempre presente nessa minha alma aberta, não podia deixar de me sentir particularmente tocada por estas palavras tão bonitas.
Desejo-te, meu amigo, um excelente fim de semana.
Um beijinho da tua amiga
Maria

Barão Van Blogh disse...

Adorei passar nesta página tão especial .

"Nas gotas de água a espelhar
O formoso corpo na envolvência
Do exaltante perfume a emanar"

Bom fim de semana .

Olhos de mel disse...

É verdade mesmo. Muitas vezes, mesmo a distancia, estamos ao lado de quem amamos. Lindo!
Bom fim de semana! Fique com Deus!
Beijos

De Amor e de Terra disse...

Outro belíssimo reencontro; mais medroso, mais melancólico...
Épocas e autores diversos; mas com Poesia que me enche a alma!


Bj


Maria Mamede

Entre linhas... disse...

Uma noite implacável com barreiras a obstruirem os sonhos de uma rosa sem brilho.
bom fim de semana
Bjs Zita