sábado, outubro 20, 2007

Uma dor fina...

Foto de Reno



Uma dor fina que o peito me atravessa,

A escuridão que envolve o pensamento,

Um não ter para onde ir cheio de pressa,

Um correr para o nada em passo lento,



Um angustiante urgir que não começa,

Um vazio a boiar no alheamento,

Uma trôpega ideia que tropeça

No vácuo de um estranho abatimento.



É tédio? É depressão? Talvez loucura?

É, para um além de mim, passagem escura?

Um ir por ir que não tem outro lado?



É, sem máscaras, a esperança enfim deposta,

Ou no extremo da verdade exposta

A ironia feroz de um deus calado?




Natália Correia

(in Sonetos Românticos)

3 comentários:

MARIA disse...

LUMIFE,
Belo poema. Maravilhosa Autora, com a sua sensibilidade tão particular.Boa imagem.
Obrigada por tudo Lumife.
Adeus.
Um beijinho, meu lindo feiticeito das palavras ao som das quais sonha o Alentejo.
Maria

fragmentosvirtuais disse...

Muito legal a foto.
Ótima escolha.

Fernandes Neto disse...

Parece que os deuses da poesia conspiram conosco nas nossas dores. Eu estava com uma tamanha dor na alma e vasculhando poesias, deparei-me com o poema "Dor fina". Nossa... foi a dor que serviu para aliviar a minha dor.

Impressionante, isso.