Avançar para o conteúdo principal

Arte

Artur Bual


Porquê tentar explicar a poesia?
Quem afinal, explica o amanhecer?
ou a luz numa pintura abstracta,
olhada por prazer!


Não peças ao poeta ou ao pintor,
o porquê dos traços geniais;
o som, a cor, a dança, a escrita…
são gestos naturais!


Tortura-se o pintor perante a tela,
compõe-se com tristezas a poesia,
doi a música ao criar uma ária,
sonhando a melodia.


No dia em que o artista for capaz
de explicar aquilo que criou…
evaporou-se a arte, a fantasia
do sonho que sobrou!


O poeta, cheira a flor… cria um poema.
O pintor, olha para o céu… e pinta a lua.
Se crias sinfonia ao ouvir aves…
então a arte é tua!



Orlando Fernandes
(Fronteiras do Sonho)

Comentários

Vieira Calado disse…
Estou de acordo. A poesia é para ler ou ouvir e não para nos darmos a grandes interpretações, tal como
a pintura é para olhar.
Bom resto de Domingo
lena disse…
é arte meu amigo e eu adoro

em tela, num simples papel pintada ou escrita


"O poeta, cheira a flor… cria um poema."


como é verdade e que bem me soube vir aqui

abraço-te com a mesma ternura de sempre

beijinhos

lena
Paula Raposo disse…
Sem dúvida. Concordo. Coisas que não se podem explicar...deixariam de ser mágicas! Beijos.
Este comentário foi removido pelo autor.
LUMIFE:
Como poucos, tu que és sensível às palavras dos poetas, poderias transmitir a beleza e o significado desta "Arte".
É muito bonita a canção do Jorge Fernando que tens colocada hoje com estes versos.
"Deixa-me só , por um dia".
Só, jamais tu ficarias : sempre entre amigos, amigas, entre pessoas queridas. Ainda assim, se deixo o Beja "por um dia" logo sinto saudades da tua poesia tão impressiva, tão empática.
Vamos assim combinar alterar esse pedido para " fica comigo a cada dia ". Pode ser ?
(NB : eliminei o c. anterior para corrigir lapsos de escrita)
um beijinho
Um dia, chuvoso,(pelo menos aqui pelo Oeste) feliz !
Maria
Olá Lumife, até que enfim passo pelo teu blogue.
E está lindo como sempre.
Muitos beijinhos,
Fernandina
Teresa David disse…
GOSTEI PARTICULARMENTE DO POEMA ATÉ PORQUE, COMO SABES PINTO E FOTOGRAFO, LOGO GOSTO DE PAIXÃO DE CAPTAR AS IMAGENS QUE POR VEZES OS OUTROS OLHAM E NÃO VÊEM. ASSIM COMO TAMBÉM APRECIO A PINTURA DO BUAL QUE CONHECI AQUI EM ALMADA ALGUNS ANOS ATRÁS.
BJS PARA VÓS TODOS
TD

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij