terça-feira, novembro 20, 2007

É assim que te quero, amor...

Foto de Reno




É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita
de luz e pão e sombra, eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há-de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nosso lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.



Pablo Neruda

15 comentários:

jorge vicente disse...

mesmo antes de ler o nome do autor, veio-me à cabeça um nome: Neruda.

fazem falta poemas assim
Jorge

Gi disse...

Palavras magníficas as que aqui deixas. Adoro Neruda.

Um beijinho

Charlie disse...

Quem maior que este poeta do amor...
Sempre belos posts, dum bom gosto e escolha a toda a prova.
É sempre um prazer vir a este espaço.
Abraço.

carlos

Olhos de mel disse...

Nossa! Tinha que ser Neruda... Adoro! São inconfundíveis! Fala de amor como poucos...
Beijos

Paula Raposo disse...

Excelente Neruda! Beijos.

bettips disse...

Eu sei, lumife. Há que meses...
Beja, Alvito, as festas, os avisos, a liberdade alentejana... eu sei! Nem sempre comento, impossível "tudo" "todos". Agradeço-te as boas palavras. És uma referência. Abç

Pepe Luigi disse...

Belíssimo este poema de Pablo Neruda, autor que eu por razões sem explicação, lhe dedico mais atenção pelas suas recordações e memórias em estilo narrativo.

Um abraço e obrigado pela visita.

Maria, Flor de Lotus disse...

É realmente muito lindo o poema.
Neruda enfeita a vida com palavras fabricadas numa fonte criadora de excelsa beleza : o amor!
Nada tão natural, tão próprio da essência dos seres humanos no seu estado mais puro e mais extraordinário do que as palavras ditadas por um coração que ama.
É quando o Homem ama que se transcende e verdadeiramente se revela no que possui de mais excepcional.
Um beijinho, Lumife e obrigada
Maria

Maria disse...

Entrar num blogue pela primeira vez e "dar de caras" com Neruda é bom. É muito bom...

Abraço

Miminho do bebé disse...

Que lindas palavras!
só hoje vi que a minha resposta nao tinha sido enviada.

beijos

Kalinka disse...

AMIGO

Já tinha saudades de te visitar e ler...está excelente o POEMA DE NERUDA - ADORO TUDO QUE ELE ESCREVEU.

Cá pelos meus lados convido-te a acompanhar de novo o meu alfabeto, vou na letra I.

Beijinhos quentes (pois a noite está um gelo).

Aspásia disse...

NERUDA É SEMPRE SINÓNIMO DE MOMENTOS POÉTICOS DE GRANDE INTENSIDADE APAIXONADA!

UM HOMEM DE ENORME SENSIBILIDADE MUITO BEM RETRATADO NO "CARTEIRO DE P. NERUDA", ALIÁS COM UMA BELA BANDA SONORA...

BELA ESTA SUA ESCOLHA, LUMIFE.

BEIJINHOS

Isabel-F. disse...

Neruda o poeta que cantou a "Mulher".

é sempre bom lê-lo ...


beijinhos

MARTA disse...

Uma excelente escolha - também gosto muito de Neruda...
Obrigada pela visita...
Até já
Beijos e abraços
Marta

Su disse...

é assim.....

bela escolha
jocas maradas