segunda-feira, novembro 26, 2007

A VERDADE ERA BELA






A verdade era bela,
como vinha nos livros.
À beirinha das águas
a verdade era bela.

Os que deram por ela
abriram-se e contaram
que a verdade era bela,

Quase todos se riram.
Os que punham nos livros
que a verdade era bela,
muito mais do que os outros.

A verdade era bela
mas doía nos olhos
mas doía nos lábios
mas doía no peito
dos que davam por ela.


Sebastião da Gama



Sebastião da Gama nasceu no dia 10 de Abril de 1924 em Vila Nogueira de Azeitão. Licenciado em Filologia Românica, pela Faculdade de Letras de Lisboa, foi professor do Ensino Técnico Profissional. Estreou-se nas letras no ano de 1945, com o livro Serra-Mãe. Colaborador de revistas como Mundo Literário, Árvore e Távola Redonda, realizou também algumas palestras e conferências. A sua carreira foi abruptamente interrompida pela morte, causada pela tuberculose, decorria o ano de 1952.

5 comentários:

peciscas disse...

A verdade é sempre bela, mas ainda hoje, por vezes, faz-nos doer quando a dizemos.

Gi disse...

A verdade é bela para quem a profere para quem a ouve nem sempre ... há verdades que custam a ouvir.Gosto de Sebastião da Gama pelo menos do que conheço que nem é muito por aí além.

Um beijinho para ti

vou ver se hoje dou seque~encia ao "selo" que me ofertaste, tenho um outro em atraso também.

(acho que a minha vida é um sucessão de atrasos nestes últimos tempos. Ums outra verdade que não me soa muuito bem ... :) )

Charlie disse...

Como a Verdade dói...
Era, diz o poeta.
Melhor que não doa.
Vivamos no engano
ao fingir que não damos por ela

José Rasquinho disse...

Sim, a verdade é bela e vale a pena!
Embora por vezes custe a dizer e a ouvir, no fim deixa-nos uma profunda sensação de paz interior!
Abraço amigo, e obrigado por este "pedacinho" de Sebastião da Gama, que, quanto mais conheço mais gosto.
Obrigado também pela sua visita.
Abraço.

Lisa disse...

Olá Lu...
Linda poesia...

Vim desejar uma linda semana com ternura pra ti...


Beijosss...