Avançar para o conteúdo principal

Onde estás ?



Foto de Paulo Cesar - Olhares


É meia-noite... e rugindo
Passa triste a ventania,
Como um verbo de desgraça,
Como um grito de agonia.
E eu digo ao vento, que passa
Por meus cabelos fugaz:
"Vento frio do deserto,
Onde ela está? Longe ou perto?"
Mas, como um hálito incerto,
Responde-me o eco ao longe:
"Oh! minh'amante, onde estás?. . .


Vem! É tarde! Por que tardas?
São horas de brando sono,
Vem reclinar-te em meu peito
Com teu lânguido abandono! ...
'Stá vazio nosso leito...
'Stá vazio o mundo inteiro;
E tu não queres qu'eu fique
Solitário nesta vida...
Mas por que tardas, querida?...
Já tenho esperado assaz...
Vem depressa, que eu deliro
Oh! minh'amante, onde estás? ...


Estrela — na tempestade,
Rosa — nos ermos da vida;
lris — do náufrago errante,
Ilusão — d'alma descrida!
Tu foste, mulher formosa!
Tu foste, ó filha do céu! ...
... E hoje que o meu passado
Para sempre morto jaz...
Vendo finda a minha sorte,
Pergunto aos ventos do Norte...
"Oh! minh'amante, onde estás?..."



(António de Castro Alves - 1847/1871)

Comentários

Teresa David disse…
Belissimo poema para começares o ano no teu blog na plenitude que a poesia nos traz.
Mts Bjs
TD
MARIA disse…
Olá Lumife,

Gosto muito de poesia, mas há sensibilidades que em poesia verdadeiramente me arrebatam. É o caso de Castro Alves.
Adoro este poeta e tudo o que escreveu. Admiro a forma como viveu.
Alias tenho algumas coisas em comum com Castro Alves.
Foi verdadeiramente Grande no amar e na forma de cantar esse amor.
Também foi um humanista , idealista, bateu-se pela abolição da escravatura. Nasceu em Março, como esta tua amiga ... entre outras coisas...
Obrigada Lumife. Fizeste feliz o meu dia com este magnífico poema.
Um beijinho
Maria
Lisa disse…
Oiii Lu...

Brigada pelo carinho...


PS: Estou aqui...cheguei...rsrs...

Noitinha linda de domingo com ternura pra ti...

Beijosss...
Olhos de mel disse…
Oie meu amigo lindo! Que belo poema! Obrigada por esse carinho!
Que sua semana seja de realizações!
Beijos
Olá Lumife, Onde andas ?
Ou fui eu que me perdi!
Lindo Poema.
Beijinhos,
Fernandinha
Miminho do bebé disse…
Não sei bem quem procuras!o pai natal não deve ser!
O poema é lindo

beijinhos
Gi disse…
Conheço mal o poeta, gostei do que me deste a conhecer. Obrigada.

beijinho e bom ano
Brancamar disse…
Olá Lumife,
Lindo este poema e a música a condizer, em tom de agonia, de saudade, de vazio...
Não conhecia este poeta.Ou pelo menos não me lembro, ainda bem que mo deste a conhecer.
Adorei o filme da campanha da sida, extraordináriamente bem feito, muito criativo, fantástico mesmo, vou já passar.
Beijinho
A vida.... disse…
ola lumife!!
ainda bem k voltaste e voltaste com um poema lindo,como sempre...

um beijinho
pin gente disse…
"não venhas tarde! dizes-me tu com carinho..."

gostei de ler
abraço
luísa
Doutroladodomar disse…
Oi, Lumife..
Recomeço , reinício. Fiquei feliz da vida de te ver lá do outro lado.Enfim,acho que até os blogs em 2008 querem se comunicar melhor! Grande Ano pra tí, meu amigo. Beijo.
Marta disse…
Poema sensível...
Lindo...
Deixei-te um presente no meu blog.
Beijos e abraços
Marta
Aspásia disse…
UM MAGNÍFICO E COMOVENTE POEMA DE UM POETA DE QUE APENAS CONHECIA O NOME...
E TB.UMA BELA FOTO.
ALGO ATRASADA, DEIXO VOTOS DE UM 2008 COM TUDO A CORRER PELO MELHOR!

BEIJINHOS

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij