Avançar para o conteúdo principal

Esperando

Foto de Valerie Velikov



Esperei tanto, tanto, meu amor …
As horas que passaram nem eu sei…
… E não chegaste … E veio depois a dor
Queimar-me as ilusões que alimentei ! …


Dulcificou-se a minha funda mágoa,
Enquanto veio a noite silenciosa …
Ficaram-se os meus olhos rasos de água,
E a minha alma enlutou-se mais saudosa !


E pela noite fora arquitectei
Novas quimeras, novas ilusões,
Em sonhos mentirosos que sonhei …
Em loucas e fantásticas visões !


E, enquanto a noite vai e o dia vem,
Desperta a dor que o meu olhar define,
No sol duma esperança que não tem
Riso que a aqueça e amor que a ilumine!


Tarde de mais, amor, tenho a certeza,
Hás-de voltar… mas, crê que te lamento,
Porque tua será minha tristeza,
E há-de esmagar-me o peito o meu tormento !




JOSÉ MARIA LOPES DE ARAÚJO

Nascido aos 25 de Janeiro de 1919

Ponta Delgada - Ilha de
S. MIGUEL - AÇORES

Comentários

aflores disse…
Sempre ouvi dizer, quem espera sempre alcança. E por um amor assim...
Lisa disse…
Olá Luís...

Vim desejar um lindo final de semana pra vc...

PS:Esperando...já o encontraste não é mesmo?! rs...
Lindo poema...

Te cuida...

Beijosss...
José Gomes disse…
Belo poema este.
Tem um bom fim de semana.
Aquele abraço,
José Gomes
bitu disse…
Bonito poema de amor muito bem acompanhado pelo fado...
Beijo terno e excelente fds
Entre linhas... disse…
É na esperança k reside tdo o segredo,quem sabe se esse dia estará próximo..
Gostei muito do poema,de um conterrãneo meu!!
Bom fim de semana amigo
Bjs Zita


Ps. Amigo tens um blog completamente desenquadrado,devias por as imagens mais pequenas,para ficar a listagem toda ao mesmo nível,não leves a mal,apenas um conselho meu ok?
Maria disse…
Lumife:
É difícil encontrar palavras que descrevam com justiça a beleza extraodinária que tu criaste com este momento, conjugando uma belíssima imagem de inegável impacto a um poema de etérea beleza, complementando tudo ainda com uma música muito apropriada.
Um momento de arte de excelência.
Um beijinho amigo
Marta disse…
Um poema de amor, cheio de saudade..Um pouco de desilusão, mas ainda com esperança...
Gostei muito....
Até já
Abraços
Marta
Isabel-F. disse…
não conhecia o poeta ...

é belissimo o poema


bjs
Cöllyßry disse…
Saber esperar sem saudade é dificil, quando o amor povoa nosso coração...

Doce meu beijo
Jofre Alves disse…
Passei para ver e apreciar o blogue e desejar boa semana.
jorge vicente disse…
lumife, o nosso camarada josé félix vai lançar um livro. convido-te para o lançamento dele, que vai ser no porto. aqui fica:

"A Edium Editores convida-o a participar na sessão de lançamento da obra “Travessia” do poeta José Félix, no dia 22 de Março de 2008.
O evento terá lugar no Porto Palácio Hotel, salão “3 Rios” às 16.30 horas
A obra será apresentada pelo poeta de Coimbra Xavier Zarco
Endereço: Avenida da Boavista nº 1269, Porto."

o meu vai ser também no porto, mas a 26 de Abril. Também te vou convidar.

UM abraço
Jorge
Brancamar disse…
Lindo poema que nos trazes!
E é tão bom conhecer um poeta que não tinha lido ainda.
Beijinhos
lindo!
saudade e esperança

=)
Paula Raposo disse…
Gostei tanto deste poema!! Lindo. Beijos.
Teresa David disse…
As dores dos amores mal resolvidos bem retratada neste poema.
Espero que estejas bem e envio bjs para tie restante familia,
TD
Vieira Calado disse…
Obrigado pelos votos, que retribuo...
e pelas lindíssimas flores.
Um abraço

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij