sexta-feira, abril 18, 2008

ABRIL DE SIM ABRIL DE NÃO







Eu vi Abril por fora e Abril por dentro
vi o Abril que foi e Abril de agora
eu vi Abril em festa e Abril lamento
Abril como quem ri como quem chora.

Eu vi chorar Abril e Abril partir
vi o Abril de sim e Abril de não
Abril que já não é Abril por vir
e como tudo o mais contradição.

Vi o Abril que ganha e Abril que perde
Abril que foi Abril e o que não foi
eu vi Abril de ser e de não ser.

Abril de Abril vestido (Abril tão verde)
Abril de Abril despido (Abril que dói)
Abril já feito. E ainda por fazer.


Manuel Alegre

6 comentários:

Jofre Alves disse...

25 de Abril SEMPRE, para cumprir a esperança. Boa semana.

helena disse...

"Abril já feito.E ainda por fazer"
E para que Abril se faça e continue SEMPRE, não podemos baixar as mãos!

sagher disse...

pena que o senhor deputado poeta não faça nada por abril se cumprir, muito pelo contrário apoie aqueles que se vingam no abril que foi. Nunca como hoje os pobres foram tão pobres e os ricos tão ricos.

TMara disse...

creio que todos que têm olhos para olhar e ver, ouvidos para ouvir e cabeça para pensar e...pensam, viram e lhes dói.
Como a nós. Um beijo do Abril que foi e um dia será.

Paula Raposo disse...

Um poema espectacular do Manuel Alegre. Beijos.

Tiana de Souza disse...

Gostei do poema! Parabéns!