sexta-feira, maio 09, 2008

NUNCA MAIS




Passa um dia,
e outro a correr atrás dele
e outro e outro...
O tempo a todos impele,
tal o vento
levando, em doida correria,
revoadas de folhas outonais,
folhas de calendários sempre iguais,
uma a uma arrancadas,
perdidas nas estradas...

Nunca mais... Nunca mais...



Saúl Dias, Essência

3 comentários:

Lisa disse...

Oláaa Lu...

Vim deixar minha marquinha e suavidade do abraço pra ti...

Felicidades às mamães da sua família...

Te cuida...

Beijossss...

MARIA disse...

Olá Lumife,
É lindo este poema.
A fotografia belíssima também. Muito bem conseguida.
O tempo Lumife, pode funcionar como um convite à vitória dos persistentes ou como uma força esmagadora para o esquecimento.
Tudo depende do quanto vale para nós o tempo perdido na passagem de um Tempo para outro Tempo :-)
Um beijinho
da
tua amiga a todo o tempo
Maria

aDesenhar disse...

temos de reinventar o tempo...

abraço