Avançar para o conteúdo principal

ENTRE AS ONDAS E A BRUMA

Foto de Paul Mahder



O meu rumo é o que o mar quiser!
De horizonte ausente
na penumbra silenciosa
atravesso madrugadas
sem fronteiras,
invento rumos, rotas e marés,
desfraldo as velas do sonho
e navego entre ondas de espuma

Deixo o meu mundo para trás
e dissolvo-me em místico nevoeiro,
pois sei que haverá um momento
em que me perderei na bruma,
o sol me queimará o rosto,
e alvas e alterosas ondas
serão nossos lençóis agitados
nas correntes loucas do desejo.

Nos lábios rubros da manhã,
molhados de sal e orvalho
haverá um impulso metafísico
de mergulhar neles num afago,
e neles voar como gaivota,
partindo livre e clandestino
até a um pôr-de-sol eterno…

Oiço-me então no meu silêncio!
Fecho os meus olhos de espanto.
E na avidez de tanto te amar,
descubro no imenso abismo azul
montes de páginas em branco
que haveremos de escrever
em bordados de espuma,
nos revoltos lençóis do oceano
com as cores da nossa paixão!...



Albino Santos

Comentários

Paula Raposo disse…
Normalmente sensual o Albino!! Beijos.
tulipa disse…
SONHAR é um direito que todos temos.
Eu «sonhei» um dia ter uma «menina», demorou 47 anos a chegar, mas...veio a «menina» que é a luz dos meus olhos.
Convido-te a veres este MOMENTO PERFEITO «Especial».

Tudo de bom para ti.
Um abraço.
MARIA disse…
Olá Lumife,
É muito lindo sonhar.
Mais lindo ainda é ser capaz de fazer nem que seja de uma parcela do sonho a nossa realidade.
É sempre um paraíso o teu blog.
Um beijo.
Maria
Olhos de mel disse…
Oie lindinho! Que bela poesia! No silêncio, podemos escutar a voz da nossa alma, o clamor do coração e assim, escrever nossa vida. Que essas páginas possam, apenas, serem preenchidas com belas histórias.
Boa semana! Beijos
Curiosa disse…
Lindo poema repleto de sensualidade e desejo.
Paginadora disse…
Olá Lumife
Palavras de sonho e paixão que nos dá o Albino Santos. Que cantinho acolhedor este "Beja".

Um abraço
Amaria
Brancamar disse…
Lindíssimo poema meu amigo e com cheiro a maresia como eu gosto!
Várias vezes tenho passado pelos teus blogues este último mês, desculpa não te dizer nada, mas outras canseiras,outras questões a que tive que me entregar não me deixaram muita margem de manobra em termos de tempo para fazer comentários com a atenção com que gosto de os fazer.
Estou a reactivar as minhas visitas na medida do possível.
Deixo-te beijinhos
Olá meu querido Amigo Lumife, sublime poema...Nada mais á a dizer,adoreiiiiiiiiiiiiiiii
Beijinhos de carinho,
Fernandinha
Marta disse…
Poema em que o mar, que adoro, domina...
O mar perto e a sensualidade desperta...
Obrigada pela visita.
Beijos e abraços
Marta

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij