quarta-feira, maio 28, 2008

TEU NOME, MEU AMOR

Foto de Nikola Borissov





Teu nome, meu amor, dorme comigo
mesmo até quando penso que te esqueço.
Nele me acolho, amor, quando esmoreço
como se fosse o meu porto de abrigo.

Nele me encontro, amor, a sós contigo,
com ele falo, amor, e me confesso,
nele me vejo a sós e reconheço
teu corpo irmão do meu e meu amigo.

Mas se o teu nome, amor, é a Poesia
( sorriso de sol tímido, escondido
nas veias do poema inacabado),

teu corpo, meu amor, é a Melodia
com que sonha meu corpo adormecido,
sob o céu dos teus olhos embalado.


FERNANDO PEIXOTO

Aconselho uma visita ao BLOG ARCA DE TERNURA