segunda-feira, janeiro 26, 2009

A PIAF




Esta voz que sabia fazer-se canalha e rouca,
ou docemente lírica e sentimental,
ou tumultuosamente gritada para as fúrias santas do «ça ira»,
ou apenas recitar meditativa, entoada, dos sonhos perdidos,
dos amores de uma noite que deixam uma memória gloriosa,
e dos que só deixam, anos seguidos, amargura e um vazio ao lado
nas noites desesperadas da carne saudosa que se não conforma
de não ter tido plenamente a carne que a traiu,
esta voz persiste graciosa e sinistra, depois da morte,
como exactamente a vida que os outros continuam vivendo
ante os olhos que se fazem garganta e palavras
para dizerem não do que sempre viram mas do que adivinham
nesta sombra que se estende luminosa por dentro
das multidões solitárias que teimam em resistir
como melodias valsando suburbanas
nas vielas do amor
e do mundo.

Quem tinha assim a morte na sua voz
e na vida.
Quem como ela perdeu
toda a alegria e toda a esperança
é que pode cantar com esta ciência
o desespero de ser-se um ser humano
entre os humanos que o são tão pouco.

6/10/1964

JORGE DE SENA


7 comentários:

Paula Raposo disse...

Perfeitos! Jorge de Sena e Piaf!! Obrigada pela partilha. Beijos.

secreto segredo disse...

Tem um convite para você lá no blog Meus recados, Teus recados
Espero que aceites

Abraços

secreto segredo

secreto segredo disse...

Obrigado por aderir. E o nome do blog já foi retificado.


Abraços

secreto segredo.

ecos de palavras disse...

Poeta. não é só quem escreve...mas também quem o sente.

Parabens, pelas escolhas da poesia que partilhas no teu espaço.

Beijos para ti e toda a familia.

Maria Valadas

ASPÁSIA disse...

OLÁ LUMIFE

EDITH PIAF, UMA MULHER TÃO PEQUENA E FRANZINA, DEVIDO À VIDA DE INDIGENTE E MALTRATADA QUE LEVOU NA INFÂNCIA, NÃO CHEGANDO A FICAR CEGA POR UM TRIZ, É PARA MIM, UMA DAS MAIORES MULHERES DO SÉC.XX NO CAMPO DA CANÇÃO. A BEM DIZER, SERÁ MESMO A MAIOR DE TODAS, NA CANÇÃO LIGEIRA.

NÃO CONHECIA ESTE POEMA QUE O NOSSO POETA JORGE DE SENA LHE DEDICOU, E QUE É UM FIEL RETRATO POÉTICO DA MAGNÍFICA "MÔME" !

FOI UMA GRANDE ESCOLHA SUA, TRAZER ESTA DUPLA!

ABRAÇO AMIGO

P.S.- ESPERO QUE AS TRIPLICADAS TAREFAS DE AVÔ ESTEJAM A SER BEM AGRADÁVEIS!

Isabel José António disse...

Caro Amigo,

Vim até esta sua casa, navegando pelos vários blogues.

E eis que se me depara um belo poema de Jorge de Sena, a assinalar a intemporalidade de Edith Piaf.

Parabéns pelo bom gosto.

É isso mesmo. O belo, a arte de alguma coisa (canto, musica, pintura, escultura, etc.)trás consigo algo da eternidade que só os seres mais dotados conseguem captar da Eterna Consciência e traduzir em obras e actos aos quais chamamos arte.

Se nos quiser visitar, sinta-se convidado.

Um grande abraço

José António

Olhos de mel disse...

Bela escolha, meu amigo lindo! Bom fim de semana!
Beijos