ANGELA SANTOS

Foto de Paulo César



ÁGUAS MANSAS

Clareou à luz do teu olhar
o dia que passa nas asas de um pássaro
azul
e logo se abrem as portas para o inaudito
onde o sopro de um anjo
revela a condição de seguir
rumo ao que houver do outro lado,
avesso da noite, luz que se oculta
e revela o azul purpura
da secreta beleza que chega nas dobras da noite
É então que me aconchego
e perscruto os sinais que sobem do centro
da vida que guardas na cadencia do teu peito
no sopro tranquilo.

E como um navio rasgando a calmaria
adormeço à tona dos teus olhos de água.


Comentários

della-porther disse…
Vim deixar um beijo.

Saudades

della
Anónimo disse…
Nessas águas mansas estou mais para incendiar a vida.

secreto segredo
jorge vicente disse…
grande lumife!!! tens um desafio para ti no meu blog!!!!

um grande abraço
jorge
Adriana disse…
Lindo! Mais uma obra prima!

boa semana
Dois Rios disse…
"E como um navio rasgando a calmaria
adormeço à tona dos teus olhos de água."

Absolutamente lindo!

Beijo,

Inês
Beatriz disse…
Um lindo poema que mostra em delicadas imagens o navegar de um coração em águas mansas.

Trago-te um beijo no desejo de uma iluminada semana, meu amigo querido!
david santos disse…
Lindo!
Brilhante!!!!
Parabéns.
Paula Raposo disse…
Lindíssimo poema!! Um prazer voltar aqui...beijos.

Mensagens populares deste blogue

ACORDANDO

ALDA GUERREIRO

ANRIQUE PAÇO D'ARCOS - UM POETA PORTUGUÊS...