quinta-feira, julho 23, 2009

Poema de: Rogério Martins Simões - Uma eternidade nos espera






Surgiu agora na net, em vídeo, um trabalho de Misteriosa do Brasil. É uma homenagem ao amigo Rogério Martins Simões que continua a deslumbrar-nos com a sua poesia no blog POEMAS DE AMOR E DOR .

Associo-me com todo o gosto a essa homenagem transcrevendo o poema e colocando o vídeo.




UMA ETERNIDADE NOS ESPERA…

Rogério Martins Simões

Quando tu e eu saltávamos em andamento,
Numa corrida estreita, para a existência,
Havia um brilho, intenso, que cegava a escuridão externa.

Falávamos em língua redonda,
Imperceptível,
Que nos deixava latejar à distância do universo das palavras.
Éramos nada!
Éramos tudo!
Frequentávamos os mesmos colégios ricos,
Onde a riqueza se media pelo contágio,
Em resultado das vidas passadas.

Fazíamos parte de um grupo,
Sem forma,
Grande aos sentidos,
E sabíamos que iríamos viajar em busca da luz.
Éramos uma luz ténue…
E procurávamos um brilho permanente.

Entrámos por uma porta estreita
Onde formas sem luz
Reproduziam uma língua quadrada,
Sem nexo, herança de uma Torre de Babel,
Que tivemos de aprender.

Estamos a ficar cansados!
Não importa…
Tomámos o caminho recto e certo
E partiremos na luz…

Falta pouco meu amor.
Uma eternidade nos espera…

Lisboa, 30 de Abril de 2009

3 comentários:

Paula Raposo disse...

Sou fã da poesia do Rogério!! Este poema não foge à regra de tão belo!! Beijos.

MARIA disse...

Eu não conhecia Lumife, muito obrigada por partilhares.
É lindoooo.

Beijinhos

Maria

ROMASI disse...

Boa noite a todos vós,
Quero agradecer ao Lumife por ter colocado aqui o bonito vídeo bem elaborado pela “Misteriosa do Brasil”. Sem me conhecer teve a delicadeza de me informar, aliás, como o fez quando publicou outro vídeo com o meu soneto “Destino ou coragem”.
São momentos como estes, e não aqueles quando descobrimos que os nossos poemas foram plagiados, que nos dão alguma alegria para superar as horas amargas.

Aproveito para agradecer à minha amiga e poetiza de grande talento, Paula Raposo. Paula desculpa não te ter contactado. A minha Parkinson avançou demais e quase me obrigou a desistir… Deixei de andar e foi graças ao aumento da dosagem dos medicamentos que vou retomando a escrita. Estou com atestado médico tremendo e temendo muito. Só no Meco me consigo “esconder” e foi lá que já recuperei alguma coisa.
Para a Maria segue tb o meu agradecimento.
Mais uma vez obrigado a todos
Rogério Martins Simões