quinta-feira, dezembro 03, 2009

AS MINHAS MÃOS






As minhas mãos afagam a doçura
e estendem-se gentis e tranquilas
pelas horas infindáveis
de muitas coisas passadas
em anos vividos
abraçados num destino
que transporta consigo
pedaços de uma vida

As minhas mãos afagam a doçura
e trazem novos afagos de lua cheia
buscando ansiosas e aflitas
o conforto de uma pele macia
de tanto prazer abraçado
e de tanta delícia sentida

António Sem

FLASHBACK

Podia ser aí. Contigo. Com o teu corpo ainda nu, ou vestido da luz que entra pelas persianas velhas, trazendo a tremura das folhas na...