Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2010

A L V I T O - PRESENTE NA 27ª OVIBEJA

Imagem
A L V I T O - PRESENTE NA 27ª O V I B E J A


O concelho de Alvito estará de novo a ser promovido na Ovibeja, entre 28 de Abril e 2 de Maio.



Para além da divulgação da temática “Alvito - Património Vivo” e da inerente distribuição de material de divulgação do concelho, haverá lugar à apresentação de novos suportes promocionais: Mapas Turísticos de Alvito e de Vila Nova da Baronia.



Nos dias 29 e 30 de Abril e 1 de Maio, entre as 16h00 e as 18h00, a Escola Profissional de Alvito (igualmente promovida no stand do Município), que em 2010 comemora 20 anos ao serviço do ensino profissional, desenvolverá actividades de demonstração e prova de produtos locais, acompanhados no Dia de Alvito (1 de Maio) de vinhos gentilmente cedidos pela Herdade das Barras (de Vila Nova da Baronia).



No programa cultural e recreativo da tarde de 1 de Maio marcarão presença os grupos: “Amigos do Cante”, “Associação do Grupo de Cante Coral Alentejano de Alvito” e “As Madrugadeiras”.



Junte-se a nós na Ovibeja!

TARDE DE OUTONO

Imagem
Desnudo de Román de Blas

Un souvenir heureux est peut-être sur terre
Plus vrai que le bonheur.
ALFRED DE MUSSET






O POETA

Ó musa, por que vieste
E contigo me trouxeste
A vagar na solidão?
Tu não sabes que a lembrança
De meus anos de esperança
Aqui fala ao coração?



A SAUDADE

De um puro amor a lânguida saudade
É doce como a lágrima perdida,
Que banha no cismar um rosto virgem:
Volta o rosto ao passado e chora a vida.



O POETA

Não sabes o quanto dói
Uma lembrança que rói
A fibra que adormeceu?...
Foi neste vale que amei,
Que a primavera sonhei,
Aqui minh'alma viveu.



A SAUDADE

Pálidos sonhos do passado morto
É doce reviver mesmo chorando:
A alma refaz-se pura. Um vento aéreo
Parece que do amor nos vai roubando.



O POETA

Eu vejo ainda a janela
Onde, à tarde, junto dela
Eu lia versos de amor...
Como eu vivia d'enleio
No bater daquele seio,
Naquele aroma de flor!

Creio vê-la inda formosa,
Nos cabelos uma rosa,
De leve a janela abrir...
Tão bela, meu Deus, tão bela!
Por que amei tanto, donzela,
Se devias me trair?



A SAUDADE

A cas…