terça-feira, agosto 03, 2010

LÁGRIMA NEGRA



Aperte fortemente a pena ingrata
entre os dedos nervosos e trementes,
e os versos jorram, claros e estridentes,
n'uma cascata, n'uma catarata!

Escrevo, e canto cânticos ardentes,
enquanto dos meus olhos se desata
uma fiada de lágrimas de prata
como um colar de pérolas pendentes...




Eu canto o sofrimento, a ânsia incontida
de amor, que é a maior ânsia desta vida,
- vida a que a Humanidade se condena!





E todo o meu sofrer, todo, se pinta
n'este pingo de dor -- pingo de tinta,
lágrima negra que me cai da pena.


Dante Milano

Poeta Brasileiro

1899/1991

1 comentário:

JB disse...

Na gota da tinta que escorre amor que se sente, definindo-o ou não no papel ou na mente!
Sem dúvida, o amor é palavra poética, namorada e desejada em cada um de nós!
Adorei, lindíssimo!

Voltarei ao seu espçao, que acabei de conhecer.

Abraço