terça-feira, abril 03, 2012

VIVO NA ESPERANÇA DE UM GESTO

Vivo na esperança de um gesto 

 Que hás-de fazer. 

 Gesto, claro, é maneira de dizer, 

 Pois o que importa é o resto 

 Que esse gesto tem de ter. 

 Tem que ter sinceridade 

 Sem parecer premeditado; 

 E tem que ser convincente, 

 Mas de maneira diferente 

 Do discurso preparado. 

 Sem me alargar, não resisto 

 À tentação de dizer 

 Que o gesto não é só isto... 

 Quando tu, em confusão, 

 Sabendo que estou à espera, 

 Me mostras que só hesitas 

 Por não saber começar, 

 Que tentações de falar! 

 Porque enfim, como adivinhas, 

 Esse gesto eu sei qual é, 

Mas se o disser, já não é... 


 REINALDO FERREIRA 


 Foto de Vyacheslav Sokhin

4 comentários:

BRANCAMAR disse...

Sempre bom vir aqui, amigo Luís, tal o manancial de boa poesia que partilhas connosco.
Este é um gesto tão pleno de vida de um poeta que não conhecia.

Beijos

Anónimo disse...

Continue Amigo Alentejano

Dando voz aos poetas...

Sabe que tenho muita pena dos livros que não são lidos?

Pode ser que desta forma as pessoas comecem a interessar-se pela poesia,
e ela há tanta e tão boa! Cada dia que surge no horizonte, trás mananciais de temas, desafiando os poetas.

Obrigada, nunca desista!

Felismina Mealha

Rosa Brava disse...

O Poeta tem razão. As vezes basta um gesto...
Grata pela partilha de um grande Poeta e de quem gosto muito.
Um grande Abraço Lumife e uma Páscoa muito Feliz.

Anónimo disse...

Sempre bom vir aqui, amigo Luís, tal o manancial de boa poesia que partilhas connosco.
Este é um gesto tão pleno de vida de um poeta que não conhecia.

Beijos