Lúcida, a manhã canta na tua voz de prata,
Meu amor perdido que a saudade aquece.
Na cidade exangue donde eu vim poeta
Lembro a voz do vento que hoje me entristece...

Lembro as tuas faces, meu amor ausente,
Que a lembrança guarda no seu fumo triste,
Que paisagens novas me fizeram pobre
Nesta alma exausta que hoje em mim existe.

Ó sol, meu padrinho, flor do céu !
Que alegria, amor, quando o sol perdoa.
Há gemidos novos na paisagem nova
Meu amor perdido que em minha alma soa.


ANTUNES DA SILVA, Canções do Vento


Pintura de Domenico Feti


Comentários

Mensagens populares deste blogue

ALDA GUERREIRO

ACORDANDO

ANRIQUE PAÇO D'ARCOS - UM POETA PORTUGUÊS...