quinta-feira, novembro 17, 2016

ESPERA



Aqui onde o exílio
dói como agulhas fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.
Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.

Eugénio Andrade

1 comentário:

Mar Arável disse...

O nosso Eugénio sempre

SONHO DOMADO

. Sei que é preciso sonhar.  . Campo sem orvalho, seca  A frente de quem não sonha. . Quem não sonha o azul do voo perde seu poder de pá...