segunda-feira, setembro 18, 2017

ESCREVO, NAS FOLHAS GASTAS DA MEMÓRIA ...





escrevo, nas folhas gastas da memória
amarelecidas, pela secagem
de um tempo
cansado


escrevo, com tinta fresca
para te sentir presente,
quando o sol
despontar


escrevo, no meu próprio sono
como se fosse voragem
sonhando nos teus braços
apressada


escrevo, nas estrelas
os teus olhos brilhantes
os espaços que damos em insónias
perigosas


escrevo, na chama cortada
por uma voz escutada,
entre os nossos olhares
cúmplices


escrevo,
perco-me em ti
e não trago mapa


helena maltez

foto de Irina Z

terça-feira, setembro 05, 2017

AS PALAVRAS DEVERIAM TER ASAS ...





As palavras deveriam ter asas,
a cor das borboletas,
o perfume das rosas de Maio.

Não me interessam os verbos
com demasiados tempos e modos

Quero escrever um poema
e ressuscitar em ti a Primavera!

ALBINO SANTOS

sexta-feira, setembro 01, 2017

O NOSSO TEMPO ...



Quanto tempo passou...?

Onde andaste ...?

Onde eu andei ...?

Não sabias de mim...

Nada sabia de ti...


E o tempo continuou a passar...


A tua imagem perdurava em meu coração...

Tu também não me esqueceste....

Muito tempo passou....


O amor, por ti, mantinha-se...

Continuavas a amar-me...


Novos rumos tomámos...

O tempo ganhou tempo....

Os dias fizeram anos...


O destino quis que nos reencontrássemos...

O destino quis apagar seus erros do passado...


O tempo, por momentos, parou...

Deixou-nos ser felizes por um tempo...


Mas o tempo é imparável...

E o destino também...

A vida continuou seu rumo...

Com lembranças mais vivas...

Que o tempo não pode apagar...



Luis Milhano (Lumife)

31 Agosto 2010


Foto de Vlad Belin