quarta-feira, dezembro 27, 2017

RENÚNCIA



Renunciar. Todo o bem que a vida trouxe,
toda a expressão do humano sofrimento.
A gente esquece assim como se fosse

um voo de andorinha em céu nevoento.

Anoiteceu de súbito. Acabou-se
tudo... A miragem do deslumbramento...
Se a vida que rolou no esquecimento
era doce, a saudade inda é mais doce.

Sofre de ânimo forte, alma intranquila!
Resume na lembrança de um momento
teu amor. Olha a noite: ele cintila.

Que o grande amor, quando a renúncia o invade
fica mais puro porque é pensamento,
fica muito maior porque é saudade.


OLEGÁRIO MARIANO


OLEGÁRIO MARIANO CARNEIRO DA CUNHA (Olegário Mariano), poeta, político e diplomata. Nasceu em Recife - PE, em 24 de março de 1889, e faleceu no Rio de Janeiro - RJ, em 28 de novembro de 1958.

.
Foto de Anna Gorbenko

Desfolhando

Desfolhando  . Essa boca, pequena, e assim vermelha, que ao botão de uma rosa se assemelha, - quanta vez provocava os meus desejos...