sexta-feira, janeiro 22, 2010

Esquecerás, amor, a minha face...

foto de Nguyen Thai Phien



Esquecerás, amor, a minha face,
meu cavalo de fogo, meu navio,
e arderás no lume que perpasse
na angústia sepultada em cada rio?

Ver-te-ei, louca e pura, dizer: Dá-se
um cavalo de fogo e um navio
a quem me recordar a sua face
— mas não mais me acharás no longo rio?

Estrada sem memória no areal,
frase uma vez só dita, ou bem ou mal,
em mim a porta, amor, em ti a chave.

Toma-a… E abre ou fecha a porta ardente
de vez… Quero saber se esta semente
ainda será vento, flor ou ave.

PAPINIANO CARLOS

EM TUAS ÁGUAS ...

EM TUAS ÁGUAS ... Em tuas águas navego Em ti resumo o périplo da minha volta ao mundo. Fora de ti, não há saída ou rumo...