Avançar para o conteúdo principal

O Meu Alentejo


(Clique na imagem para ver em tamanho grande e no endereço de origem)




Meio-dia. O sol a prumo cai ardente,

Doirando tudo...Ondeiam nos trigais

D’oiro fulvo, de leve...docemente...

As papoilas sangrentas, sensuais...



Andam asas no ar; as raparigas,

Flores desabrochadas em canteiros,

Mostram, por entre o oiro das espigas,

Os perfis delicados e trigueiros...



Tudo é tranqüilo, e casto, e sonhador...

Olhando esta paisagem que é uma tela

De Deus, eu penso então: Onde há pintor,



Onde há artista de saber profundo,

Que possa imaginar coisa mais bela,

Mais delicada e linda neste mundo?!





(Florbela Espanca)


(Foto - Alvito de Ricardo Encarnação Ferreira. Fotografia na Net

Comentários

Cristina disse…
Lindo, adoro os poemas da Florbela

:)
Beijinhu e uma óptima semana para ti
:)
wind disse…
Mais um bonito soneto da Florbela Espanca ao seu Alentejo. Bonira foto:) beijos
batista filho disse…
Vir aqui, sentir esse clima gostoso de ser bem recebido, de me sentir em casa; curtir uma foto, que permite tantos olhares, múltiplas perspectivas; sentir os versos de Florbela... é bom demais!
TMara disse…
um belo texto-poema -homenagem, de alguém k insistem em considerar como poetisa/poeta menor e de quem não acho tal.Boa semana. Bjs e ;)
Menina_marota disse…
Só Florbela para nos falar assim...

Uma imagem e um Poema, soberbos!

Um bom feriado ;)
Isabel-F. disse…
Lindo poema este de Florbela....

O ALentejo faz-me lembrar África...

Uma sugestão: e se de vez em quando "postasses" aqui umas receitas da tão rica gastronomia alentejana...

Se não te importares, quero sim o tal endereço...

Bjs
Lumife disse…
Nita:

Igualmente te desejo uma boa semana.

É sempre bom ver-te aqui.

Bjs


Wind :

Ob pela tua presença que alegra o meu canto.

Beijos


Batista Filho :

Feliz por te sentires bem na nossa companhia.

Um abraço.


Tmara :

Florbela poeta-menor? Só a falta de sentimentos pode chegar a tal conclusão. Uma Mulher que cantou apaixonadamente a Vida, o Amor e a sua Terra merece maior respeito e consideração.

Boa semana tb para ti.

Bjs.



Menina Marota :


Grato pelas palavras aqui deixadas.

Boa semana.

Bjs.


Isabel Filipe:

De facto está nos meus planos dar a conhecer alguns pratos da cozinha alentejana. Só aguardo a colaboração de quem está por dentro desses segredos culinários.
Hummmm que delícias...

aqui te envio o endereço:

http://www.flash-gear.com/index.php

Há lá coisas giras.

tem uma boa semana.

Bjs.
Mocho Falante disse…
A sensualidade das palavras escritas por Florbela deixam-me sempre com um sentimento da magnificência da escrita...
paper life disse…
Meu Alentejo do barro vermelho e o verde escuro do que ainda não ardeu!

:) Bjs
Anónimo disse…
Como é que uma mulher arrancada do barro do Alentejo canta que quer amar, amar,amar perdidamente.. e depois alguém a vem tratar por poetisa menor.

Charlie
xarly2@hotmail.com
batista filho disse…
:)
Brlo poema-exaltação. Imagem condizente. Um abraço.
Anónimo disse…
Alentejo...Alentejo, provincia de povo amigo sempre de coração nas mãos para ajudar quem chega. Adorei viver no Alentejo . Bfds.......bjks da DoceRebelde

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij