Avançar para o conteúdo principal

Manuel Alegre - O Nosso Candidato






«Trova do Vento que Passa»


Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.

Pergunto aos rios que levam
tanto sonho à flor das águas
e os rios não me sossegam
levam sonhos deixam mágoas.

Levam sonhos deixam mágoas
ai rios do meu país
minha pátria à flor das águas
para onde vais? Ninguém diz.

Se o verde trevo desfolhas
pede notícias e diz
ao trevo de quatro folhas
que morro por meu país.

Pergunto à gente que passa
por que vai de olhos no chão.
Silêncio -- é tudo o que tem
quem vive na servidão.

Vi florir os verdes ramos
direitos e ao céu voltados.
E a quem gosta de ter amos
vi sempre os ombros curvados.

E o vento não me diz nada
ninguém diz nada de novo.
Vi minha pátria pregada
nos braços em cruz do povo.

Vi minha pátria na margem
dos rios que vão pró mar
como quem ama a viagem
mas tem sempre de ficar.

Vi navios a partir
(minha pátria à flor das águas)
vi minha pátria florir
(verdes folhas verdes mágoas).

Há quem te queira ignorada
e fale pátria em teu nome.
Eu vi-te crucificada
nos braços negros da fome.

E o vento não me diz nada
só o silêncio persiste.
Vi minha pátria parada
à beira de um rio triste.

Ninguém diz nada de novo
se notícias vou pedindo
nas mãos vazias do povo
vi minha pátria florindo.

E a noite cresce por dentro
dos homens do meu país.
Peço notícias ao vento
e o vento nada me diz.

Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém que semeia
canções no vento que passa.

Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.

(Manuel Alegre)





****
Perguntas que não podem deixar de ser feitas
[A candidatura de Manuel Alegre 31.10.2005]



A nossa candidatura não ataca ninguém. Define-se por um projecto próprio e considera todas as outras candidaturas em pé de igualdade.
Mas têm sido proferidas afirmações às quais, pela sua surpreendente agressividade, não podemos deixar de reagir.
Com todo o respeito e consideração, há perguntas que não podem deixar de ser feitas a Jerónimo de Sousa: contra quem está ele a combater? Contra Cavaco Silva ou contra Manuel Alegre? Por quem está ele a fazer campanha? Pela sua candidatura ou pela de outro candidato, apoiado por outro partido?



***
Mais cidadania, melhor democracia
[Manuel Alegre 24.10.2005]



Como deputado constituinte, fui co-fundador do actual regime pluripartidário em Portugal. O facto de a minha candidatura ser a única que não depende de nenhum partido político não significa que seja contra os partidos. Como muitas vezes tenho dito, os partidos políticos, de acordo, aliás, com a Constituição, são essenciais à formação democrática da vontade colectiva. Mas não esgotam a democracia. O excessivo peso dos aparelhos partidários afunila, não só os partidos, como toda a vida cívica.
É por isso que é preciso alargar o espaço da cidadania. É esse um dos objectivos centrais da minha candidatura: mais cidadania, melhor democracia.



***
Uma perversão inadmissível
[A candidatura de Manuel Alegre 22.10.2005]



Depois do que se passou na Comissão Nacional do Partido Socialista, a mobilização deste fim de semana em vários plenários distritais torna evidente que o que está em causa para alguns dirigentes não é derrotar Cavaco Silva, mas sim combater Manuel Alegre. De facto, não se ouviu uma palavra do Secretário Geral do PS a criticar a apresentação da candidatura do ex-primeiro ministro e a sua total ausência de propostas para a saída da crise nacional. Pelo contrário, parece que o principal objectivo é condicionar os militantes socialistas que apoiam Manuel Alegre. O que é uma perversão inadmissível da natureza da eleição presidencial e uma forma de limitar a liberdade de escolha de cidadãos eleitores que, pelo facto de militarem num partido político, não podem ver-se privados dos seus direitos constitucionais.

Comentários

meialua disse…
Uma boa semana amigo ;)
vou espreitar agora o outro blog...

Beijos*
wind disse…
Tens toda a razão, penso o mesmo. É o "meu" candidato. beijos
singularidade disse…
Belo poema dum grande "Homem"
beijinho grande
sónia disse…
O nosso candidato: sem dúvidas! ;)
TMara disse…
tenho andado meio desantenada...mas dá para perceber o tom geral k por aí vai. as questões aqui levantadas são pertinentes. Veremos o k o povão decide. bjs de luz e paz
Com toda a razão!O candidato que faz a diferença.Não é apoiado por nenhum partido mas como dizes também não contra qualquer partido.É o candidato natural de um homem que merece pelo que fez e pelo que faz.É o meu candidato.Um abraço.
sonhos sonhados disse…
kerido Lumife

que saudades!
jinhux létinha.
Mocho Falante disse…
Isto é que é fervor pelo candidato, sim senhor
adesenhar disse…
«Trova do Vento que Passa»

sempre actual este belo poema do Manuel Alegre.

neste momento dos 5 candidatos o Manuel Alegre é o que está melhor colocado nas minhas sondagens :-)
vistas bem as coisas e fora toda a partidarice mesquinha, este Poeta é um homem de grande coragem ao enfrentar sózinho todas as máquinas partidárias envolventes :-)
Que a sua força se mantenha porque a ele ninguém o cala...

:)

esquisso: Obrigado lumife pelo mail enviado ao Romero.Ele já respondeu faltando apenas a Dizzie dar sinais de vida blogosférica, espero que esteja bem :)
Nilson Barcelli disse…
Eu só começo a pensar no assunto a partir de Janeiro.
Até lá estou aberto ao que eles vão dizendo.
Abraço.
Ludinais disse…
Um abraço forte daqui onde as trovas vão continuando, apesar de por vezes haver vento em demasia.
Viva a liberdade e o sonho.
lena disse…
Manuel Alegre - o Nosso Candidato

O Homem, O Poeta, O Político

tens razão

beijinhos meus

lena
Grilinha disse…
Gosto muito de o ouvir falar e de o ler nos seus poemas. Quanto á candidatura ainda não me decidi. Vou estar atenta nos próximos tempos. beijinhos
BomDeBola disse…
O CANDIDATO BONITO

Para um Portugal Alegre, livre, moderno, descomprometido de interesses partidários, difundam esta mensagem, passem este slogan:


É tão difícil encontrar pessoas assim... bonitas!
BomDeBola disse…
O CANDIDATO BONITO

Li o Contrato Presidencial de Manuel Alegre e vi a entrevista que deu esta semana à TVI. Já admirava o candidato pela sua postura, pela sua coragem, pela sua independência, pelos seus princípios. Desta vez, Manuel Alegre transcendeu-se. É o meu candidato.


É tão difícil encontrar pessoas assim... bonitas!
alentejodive disse…
Olá, pessoal.

Hoje não estou em condições de comentar. Passei por aqui só para vos cumprimentar.

Saudações alentejanas.
segurademim disse…
... a interrogação deve ser uma constante nas nossas vidas, só assim progredimos!!
Gostei do debate do Manuel Alegre na TVI, muito bom!
Beijo
ernesto esteves disse…
Faço minhas as palavras da "Wind": Belo poema; é o «meu» candidato!
BomDeBola disse…
Não gostei de ler na última edição do Expresso que duas dezenas de socialistas vão avançar com um “Manifesto anti-Alegre”. Os subscritores do documento decidiram “denunciar a ausência de honestidade intelectual e política de Manuel Alegre”, comparando esta candidatura aos polémicos casos de Valentim Loureiro, Isaltino Morais e Fátima Felgueiras.

Espero que a candidatura de Mário Soares e o próprio PS se demarquem rapidamente da posição destes “socialistas”. Será bom que tenham presente que vamos eleger “apenas” o mais alto magistrado da Nação e não uma equipa para nos governar. Boa parte dos seus apoiantes não percebe nem concorda que o aparelho socialista vá para além do que dele será legítimo esperar: a indicação de voto e o apoio financeiro e das suas estruturas ao candidato do partido. Quem está a contribuir para denegrir o candidato Manuel Alegre, não está a prestar um bom serviço à esquerda, está, pelo contrário, a sobrepor-se à vontade popular numa eleição deste tipo, onde cada um deve ouvir a voz do coração e escolher livremente o seu candidato na primeira volta. Só assim se atingirá o pleno da votação da esquerda, ainda maioritária no nosso país.

Não é novidade que Cavaco Silva há muito que conseguiu a unanimidade dos apoiantes que votam PSD e CDS, pelo contrário, a esquerda entra nesta campanha extremamente fragilizada. Os partidos políticos que suportam os “seus” candidatos oficiais têm vindo a assumir-se invariavelmente pela negativa, sucedem-se os ataques ao rival melhor colocado para fazer frente ao adversário comum. No entanto, segundo as últimas sondagens, ainda existem 15% de indecisos. Como Cavaco Silva já atingiu o pleno dos seus apoiantes, haverá ainda muito por definir nesta eleição.

Pela minha parte vou até ao fim. A minha intuição diz-me que Manuel Alegre será o homem certo no lugar certo. Nada me fará demover de lhe dar o meu voto.

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij