quinta-feira, março 02, 2006

Por ti

Foto de Ricardo Machado-1000Imagens







Com pedaços de céu,
inventei estrelas cintilantes,
para uma galáxia só nossa,
onde pudéssemos viver em paz.


Agarrei uma porção de azul,
e embrulhei nela todas as ondas
que se espreguiçavam nas praias,
para podermos olhá-las em silêncio.

Numa qualquer planície castanha,
pintei milhões de espigas douradas,
onde espreguiçámos cansaços,
e saciámos a nossa fome de pão.

Com os sons que descobri nos ventos,
compuz árias que as aves cantaram
e te ofereceram em breves serenatas,
quando assomavas à janela do sonho.

Gritei a minha enorme paixão,
embrulhando-te em mantos de ternura,
que negligente, deixavas cair,
para ficares desnudada e liberta.


Por ti…
Inventei, sonhei, pintei, compuz e gritei!

E mil vezes adormeci ébrio de ilusões!
E mil vezes não consegui acordar!





Foto de Paulo Afonso-Paulo Jorge-PhotoSIG



ROUXINOL


Rouxinol, irmão, amigo,
deixa-me cantar contigo,
canções que soltas no vento
Quero voar e aprender,
como se canta a sofrer,
como se acalma um tormento.


Ensina-me o teu trinar,
que feliz, deixas no ar
quando pousas na ramagem;
Se não queres voar sozinho,
indica-me o teu caminho,
que eu vou seguir-te a viagem.


Rouxinol de asas abertas
com teu cantar te libertas,
desse correr peregrino;
Sonho com o teu voar,
invejo-te o teu cantar …
troca comigo o destino !




Orlando Fernandes in Alentejo… e outros poemas

6 comentários:

wind disse...

Este Orlando Fernandes tem poemas lindíssimos.) beijos

O Restaurador disse...

Bom fim de semana!

Saudações!

paper life disse...

Gostei. :)

BFS

Mocho Falante disse...

Mais dois belos poemas acompanhados por duas fotos fantasticas...eu adorei a segunda foto

abraços

Lisa disse...

Olá Lu ...

Lindos poemas...

PS:- Por ti…
Inventei, sonhei, pintei, compuz e gritei!

E mil vezes adormeci ébrio de ilusões!
E mil vezes não consegui acordar!

Desejo um lindo sábado e um maravilhoso domingo com ternura pra ti...

Beijosss...

Mily disse...

São sim, dois belos poemas! E os teus, por onde andam? Saiba que a poesia não nasceu para ficar guardada num cantinho qualquer de uma gaveta, ou numa folha esquecida de algum caderno... há que ter ar para respirar e luz para existir... há que ter vida para encantar olhares e perfumar almas sedentas de belos versos que falem de amor, que falem da vida, que falem de alguma coisa que toque o coração. E eu sei que as tuas são assim! Deixo-te um beijo carinhoso nos votos de um domingo repleto de cor, luz, alegria, esperança e amor.