terça-feira, maio 30, 2006

Este grão que não germinou...

Foto de LG-Salih Guler-foto net




Este grão que não germinou,
sem motivo e sem razão,
na terra já amanhada;

Correu mundo arrastado
na bolanda do vendaval,
perseguiu mil aventuras,
num desespero de caminhada.

Quis regressar.
Era tarde.
A terra não era dele
a leira fora ocupada.

Aninhou-se em terra estranha,
onde encontrou acolhimento...


Sem o Sol que tanto amava
refugiou-se no Luar
esperando o passar do tempo.

Mas um dia, neste dia,
o Sol voltou a raiar.

Abrindo seu coração,
nele aconchegou o grão
que, feliz, voltou a sonhar…



Lumife 30-05-2006



foto de Marília-fotografia na net

3 comentários:

lazuli disse...

Logo pela manhã quando ligares o pc, num outro dia ..

"Mas um dia, neste dia,
o Sol voltou a raiar".

Recebe um beijinho meu na alta madrugada dum dia que ainda não amanheceu.

wind disse...

Lindo poema de terra que germina:) beijos

Mily disse...

Lindos versos a dizer de um sonho que finalmente encontra um lugar onde possa despontar e florir...

Acho que o ser humano é um pouco assim... levados ao sabor de uma força maior até que um dia consegue aportar em terras que o abriguem como se dali sempre fora, para finalmente poder germinar... e florescer... e ser feliz!

Gostei do teu poema, gostei das imagens, gostei de estar aqui!

Deixo-te um beijo fraterno, nos votos de dias inundados de paz e amor.