Avançar para o conteúdo principal
Foto de Paulo Custódio-Olhares



Eu sei e você sabe
Já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe
Que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham a você.

Assim como o Oceano, só é belo com o luar
Assim como a Canção, só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem, só acontece se chover
Assim como o poeta, só é bem grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor, não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você!


(Vinicius de Moraes)

Comentários

Kalinka disse…
Ah...a 1ª pessoa a comentar!
Hummm, é assim que eu gosto, de andar a espreitar alguns cantinhos e encontrar tanto romantismo, tanto amor...
Será sinal de que o Mundo anda a necessitar que se fale de Amor, para que este sentimento não ande esquecido da maioria das pessoas?
Será um alerta?
Não sei encontrar uma resposta, mas aqui o meu Amigo lá saberá porque anda tão romântico...

Gosto imenso de Vinícius, mas encontrei aqui uma frase que me põe a pensar:

Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste!!!

Não consigo concordar, mas, enfim.

Beijokas.
batista filho disse…
Só hoje passei por cá. Inclusive deixei comentário sobre o teu poema, publicado um pouco abaixo. Assisti ao vídeo, ouvi e vi meu caro amigo num evento de grande significação para quem ama a sua terra, a sua gente e a poesia. Parabéns, meu amigo-irmão!
Deixo o meu abraço fraterno.
TMara disse…
Viniciu, um dos maiores poetas do maor e das mulheres. Sempre bela e boa poesia.Bom f.s amigos
meialua disse…
Vinicius será sempre Vinicius...
Amei a foto.
Beijos e bom fim de semana*
TMara disse…
amigo, vinha dizer-te k nos não esquecemos, mas tivemso pessoas em casa e ontem não deu e deparo-me com esta maravilhoso poema. Pessoalmente tirava o "eu".De resto acho-o perfeito e belo. Do resto diremos ambos. Bom fs para toda a família e beijos fraternos e amigos. Bjinhos para a linda e doce Carolina
Manel do Montado disse…
Alternativa difícil esta de escolher Brel ou Zeca para ouvir. Então ouvi as duas,cada uma com a sua mensagem de sentimentos reais, fortes e abrangentes. O que aqui se lê, seja teu ou de outrso, é bom, porra, apazigua a alma.
Um dia teremos de trocar umas palavras com um putisco e um caco de tinto de permeio.
Um abraço

Mensagens populares deste blogue

Cantiga para não morrer de Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve. 
.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.
.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.
.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.
.
Ferreira Gullar

Como a noite descesse...

Como a noite descesse e eu me sentisse só,
só e desesperado diante dos horizontes que se fechavam,
gritei alto, bem alto: ó doce e incorruptível Aurora!
e vi logo que só as estrelas é que me entenderiam.
Era preciso esperar que o próprio passado desaparecesse,
ou então voltar à infância.
Onde, entretanto, quem me dissesse
ao coração trêmulo:
- É por aqui!

Onde, entretanto, quem me disesse
ao espírito cego:
- Renasceste: liberta-te!

Se eu estava só, só e desesperado,
por que gritar tão alto?
Por que não dizer baixinho, como quem reza:
- Ó doce e incorruptível Aurora...
se só as estrelas é que me entenderiam?

Emílio Moura



Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902Dores do Indaiá28 de setembro de 1971Belo Horizonte) foi um poetamodernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários dos periódicos Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Moura foi também professor universit…

SE FOSSES ...

Se fosses luz serias a mais bela De quantas há no mundo: – a luz do dia! – Bendito seja o teu sorriso Que desata a inspiração Da minha fantasia! Se fosses flor serias o perfume Concentrado e divino que perturba O sentir de quem nasce para amar! – Se desejo o teu corpo é porque tenho Dentro de mim A sede e a vibração de te beijar! Se fosses água – música da terra, Serias água pura e sempre calma! – Mas de tudo que possas ser na vida, Só quero, meu amor, que sejas alma!

António Botto
Foto de Aleksandr Krivickij